sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

CARNAVANÁLISE #11: Grande Rio e a busca pelo tão sonhado trono

 
Por Beatriz Freire
O carnaval de São Paulo, inegavelmente, é um dos que mais cresce e ganha espaço no Brasil. Apesar disso, é impossível ignorar a relevância que a festa momesca tem em terras cariocas. Para ilustrar tamanho crescimento da folia e a união entre os carnavais, Felipe de Souza, Beatriz Freire e Jéssica Barbosa se reuniram para detalhar samba e enredo das 27 escolas que passarão pelo Anhembi e pela Marquês de Sapucaí em 2018. Os textos estarão disponíveis às segundas, quartas e sextas, seguindo o resultado do último carnaval.

Depois do banho de axé que derramou e da poeira que levantou na Avenida, a escola de Caxias roda e avisa: a Grande Rio é o cassino do Chacrinha.

"Vai para o trono ou não vai?"
Acadêmicos do Grande Rio


“Vem chacrete o bumbum rebolar
Eu vou brilhar na TV, ouvir de novo dozer
‘9h Terezinha, oh Terezinha, 
vai começar mais um cassino do Chacrinha’”
Assim como as demais co-irmãs, a dança das cadeiras na tricolor não foi diferente; o carnavalesco Fábio Ricardo pegou a estrada para Madureira e o casal Lage, que até então esteve por quase 15 anos no Salgueiro, assumiu o carnaval caxiense. Homenageando o Velho Guerreiro, a Grande Rio promete ir pro trono, buscando não apenas o desfile das campeãs mas, sim, o tão sonhado campeonato. A grande expectativa é ver como Renato, o high-tech, e Márcia Lage desenvolverão esteticamente um desfile com diversas soluções possíveis e, mais ainda, como será a parceria da dupla com um outro casal que causa alvoroço pelas Comissões de Frente: Priscila Motta e Rodrigo Negri, que desde 2015 comandam o quesito de Caxias.

O samba:
Se o troféu abacaxi tivesse que ser dado para um quesito, dificilmente ele não seria o de samba-enredo. A parceria escolhida não agradou tanto e está no final do ranking de muitos foliões dos sambas do Grupo Especial. Emerson Dias, porém, reafirma seu talento a cada ano e deu um toque mais animado e mais agradável de ouvir a gravação do CD, que também contou com a bateria do mestre Thiago Diogo mais pra frente, o que é natural pela animação do samba e pela letra pouco poética, que não se sustentaria num andamento normal. A expectativa é que a Invocada se recupere das notas baixas que levou em 2017, com o carnaval que homenageava Ivete Sangalo.

A Grande Rio será a quinta escola a desfilar no domingo.
E pra você, Terezinha? A Grande Rio vai pro trono ou não vai?

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

CARNAVANÁLISE #10: Império de Casa Verde vai à luta com grandes atributos

Por Felipe de Souza
O carnaval de São Paulo, inegavelmente, é um dos que mais cresce e ganha espaço no Brasil. Apesar disso, é impossível ignorar a relevância que a festa momesca tem em terras cariocas. Para ilustrar tamanho crescimento da folia e a união entre os carnavais, Felipe de Souza, Beatriz Freire e Jéssica Barbosa se reuniram para detalhar samba e enredo das 27 escolas que passarão pelo Anhembi e pela Marquês de Sapucaí em 2018. Os textos estarão disponíveis às segundas, quartas e sextas, seguindo o resultado do último carnaval.

"O Povo, a Nobreza Real"
Império de Casa Verde
"Meu Império é amor, tem a força pra vencer.
Tigre guerreiro não cansa, 
vai à luta de novo.
Teu sangue azul é a cara do povo"
Alô Tigre! Quarto colocado em 2017, o Império de Casa Verde manteve a base de sua equipe para o carnaval 2018. Capitaneada por Jorge Freitas, a escola quer brigar novamente pelo título.

Sem ter divulgado a sinopse ao público, a azul e branca traz o enredo "O povo: a nobreza real", que conta a história da Revolução Francesa, movimento que teve participação central da burguesia e dos menos abastados em busca da equidade entre as classes. Como fio condutor do enredo, a revolução deságua no Brasil, em meio ao caos político.

O samba:
No Império, 14 parcerias se inscreveram para a disputa de samba para o próximo carnaval. Os vencedores foram Jairo Roizen, Thiago Sukata, Godoi, Luciano Godoi, Claudio Mattos, Tavares, Tubino, William Lima, Meiners e Victor Alves, com um samba com belíssimos momentos. A melodia agradável também é um ponto positivo da obra escolhida pelo Tigre para o próximo cortejo.

A gravação do CD, comandada por Carlos Júnior, em grande fase, teve a participação de Edi Rock, do Racionais MC's na introdução. Com atuação correta da Barcelona do Samba, o samba teve uma crescente em relação às disputas. Destaco, na obra, os versos "No 'Reino das Regalias'/ A poesia é nossa arma pra lutar/ Contra o carrasco da injustiça", que reflete muito bem a proposta do enredo.

O Império de Casa Verde será a segunda escola a desfilar no sábado. O Tigre guerreiro vai à luta de novo. Será que chegou a hora?!

QUASE UMA REPÓRTER: a estrela em ascensão do carnaval, Grazzi Brasil

Por Juliana Yamamoto
Olá, seguidores do Carnavalize, tudo bom? Hoje a entrevistada do site é uma das maiores revelações do carnaval de 2017 e a voz oficial da Escola do Povo, Grazzi Brasil!

Eu sempre quis entrevistar a Grazzi e após muitos pedidos, finalmente consegui realizar esse desejo. Desde o momento que ela ganhou notoriedade nas eliminatórias do Vai-Vai pro carnaval 2017, eu já a admirava e considerava ela um talento nato. Tive a oportunidade de fazer uma mini entrevista após o desfile das campeãs e agora uma entrevista mais longa e sem dúvidas, melhor e mais completa. 

Grazzi Brasil iniciou no mundo do samba através do convite do seu amigo Jorginho Soares, o qual é muito grata. Fez parte do time de canto da parceria do Zeca do Cavaco nos sambas concorrentes nos anos de 2015 (Elis Regina) e 2016 (França). Desde 2017, ela faz parte do carro de som da Escola do Povo e em 2018, será a primeira mulher intérprete oficial na história da Saracura. Muita responsabilidade, né? Mas além disso, ela estará no carro de som do Paraíso do Tuiuti do Rio de Janeiro. Olha só que voos altos, a nossa querida vem fazendo. Durante a entrevista, Grazzi comentou tudo isso e também falou suas expectativas pra 2018. Também abordei sobre o machismo no mundo do samba - se a própria sentiu isso - e como ela se vê como exemplo para outras meninas que queiram ser intérpretes. A sua representatividade e imagem para outras mulheres alcançarem o seu espaço numa escola de samba. 

Também citou as referências que ela tem na função de intérprete! Tem Wander Pires, Nino do Milênio, Diego Nicolau... Agora, pra você saber melhor de tudo isso, só ouvindo a entrevista que me fez conhecer ainda mais de uma das maiores revelações do Carnaval brasileiro nos últimos anos. 

Quero agradecer a Grazzi e assessoria do Vai-Vai, Mauricio Coutinho, pela atenção comigo em nome do Site Carnavalize. Muito obrigada pelo carinho e pelo tempo disponibilizado!

"Saracura! A Vai-Vai do meu coração! Simbora, Escola do Povo".

OUÇA A ENTREVISTA ABAIXO:

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

CARNAVANÁLISE #8: Vai-Vai canta Gil em busca do terceiro título na década


Por Felipe de Souza
O carnaval de São Paulo, inegavelmente, é um dos que mais cresce e ganha espaço no Brasil. Apesar disso, é impossível ignorar a relevância que a festa momesca tem em terras cariocas. Para ilustrar tamanho crescimento da folia e a união entre os carnavais, Felipe de Souza, Beatriz Freire e Jéssica Barbosa se reuniram para detalhar samba e enredo das 27 escolas que passarão pelo Anhembi e pela Marquês de Sapucaí em 2018. Os textos estarão disponíveis às segundas, quartas e sextas, seguindo o resultado do último carnaval.


Após um desfile aquém do esperado em 2017, o Vai-Vai se arma para o terceiro enredo musical na década. Em outras duas oportunidades, o maestro João Carlos Magalhães (2011) e a cantora Elis Regina (2015) trouxeram a taça ao Bixiga. Chegou a hora da 16ª estrela?! 

"Sambar com fé eu vou"
Vai-Vai
"Hoje a sua voz vai emocionar
só quem é Vai-Vai sabe o que é amar
Na Bela Vista todo mundo vai sambar com fé
porque a fé não costuma 'faiá'"
O Vai-Vai, para o próximo carnaval, promoveu mudanças em sua equipe para brigar, novamente, pelo título. Na comissão de carnaval, a saída de André Marins após a divulgação do enredo foi precedida da chegada de Chico Spinosa e Delmo de Moraes, complementando a equipe formada por Alexandre Louzada, campeão pela Mocidade Independente em 17, e Junior Schall. A ideia dos carnavalescos é contar a história de Gilberto Gil por meio de sua vasta obra musical, apresentando também sua influência durante a ditadura militar.

Para o carro de som, foi confirmado vínculo com Wantuir e Grazzi Brasil, com participação especial do cantor Belo. Entretanto, Wantuir foi desligado da escola, tornando Grazzi a primeira intérprete da história da maior campeã do carnaval de São Paulo. Ela e Belo protagonizaram a gravação do CD, numa dupla muito coesa. 

O samba:
A obra que embalará o desfile do Vai-Vai é de autoria da parceria bicampeã encabeçada por Edegar Cirillo. O samba foi aclamado na disputa, sendo cantado por Grazzi Brasil e Fredy Vianna. Não houve mudanças após a escolha do hino, que flutua entre a ponta e o meio da safra.

Para o CD, a grande surpresa ficou por conta do grito de guerra da, agora intérprete, Grazzi Brasil. "Saracura! A Vai-Vai tá no meu coração. Simbora, Escola do Povo!" foi o escolhido por ela. Ressalta-se também a qualidade dos refrões da obra, tendo como crescentes os últimos versos antes do principal. A comunidade abraçou o samba e a bateria Pegada de Macaco utilizou-se corretamente da obra. 

O Vai-Vai desfilará no sábado de carnaval, sendo a quarta escola. A música vai embalar mais um título da Saracura?! Eis a questão! 


CARNAVANÁLISE #9: Mangueira vem provar que o carnaval é do povo

Por Beatriz Freire
O carnaval de São Paulo, inegavelmente, é um dos que mais cresce e ganha espaço no Brasil. Apesar disso, é impossível ignorar a relevância que a festa momesca tem em terras cariocas. Para ilustrar tamanho crescimento da folia e a união entre os carnavais, Felipe de Souza, Beatriz Freire e Jéssica Barbosa se reuniram para detalhar samba e enredo das 27 escolas que passarão pelo Anhembi e pela Marquês de Sapucaí em 2018. Os textos estarão disponíveis às segundas, quartas e sextas, seguindo o resultado do último carnaval.

Se um prefeito incomoda muita gente, uma escola de samba pode incomodar muito mais! Campeã de 2016 e quarta colocada do último carnaval, a Mangueira, sob o comando de Leandro Vieira, levará à Avenida uma crítica ao bispo e a tentativa de alinhar o discurso da escola de samba às demandas atuais. Confira mais detalhes do baile verde-e-rosa para o próximo ano:

"Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco"
Estação Primeira de Mangueira
"Eu sou Mangueira, meu senhor, não me leve a mal.
Pecado é não brincar o carnaval"
A Mangueira está munida de confete, serpentina e muita crítica no front de batalha contra a onda de conservadorismo neopentecostal que avança sobre o carnaval, marcado pela crise e pelos cortes. "Com dinheiro ou sem dinheiro eu brinco" é o título que batiza o enredo do terceiro carnaval de Leandro Vieira, que estreou pela escola em 2016 e conquistou o campeonato com "Bethânia: a menina dos olhos de Oyá".

Sem grandes mudanças, a Mangueira ganhou o reforço de Péricles, que dividirá o microfone com os colegas do carro de som e Ciganerey, além da contratação de Adriana Salomão e Steven Harper, novos coreógrafos da Comissão de Frente.

Com belíssimos e elogiados protótipos já apresentados, a expectativa é alta pela briga da taça. Mesmo com a interdição dos barracões na Cidade do Samba, a Estação Primeira é a mais adiantada dentre as agremiações, o que traduz a organização e confiança do trabalho que está sendo desenvolvido.

O samba:
A disputa mangueirense contou com uma boa safra, tendo como destaques as parcerias lideradas por Tantinho e Lequinho. A verde-e-rosa transformou sua quadra em um grande baile de carnaval durante o período das eliminatórias. Numa final arrebatadora, a parceria de Lequinho sagrou-se campeã.

A versão oficial do CD contou com a participação de Péricles ao lado de Ciganerey e a letra sofreu algumas poucas alterações comparada à versão apresentada durante as disputas. Na certeza de uma comunidade aguerrida e um bom samba para embalar o cortejo da Mangueira, os torcedores aguardam mais uma aula de desfile da escola.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

CARNAVANÁLISE #7: Academia do Samba firmando o tambor em busca do decacampeonato

Por Beatriz Freire
O carnaval de São Paulo, inegavelmente, é um dos que mais cresce e ganha espaço no Brasil. Apesar disso, é impossível ignorar a relevância que a festa momesca tem em terras cariocas. Para ilustrar tamanho crescimento da folia e a união entre os carnavais, Felipe de Souza, Beatriz Freire e Jéssica Barbosa se reuniram para detalhar samba e enredo das 27 escolas que passarão pelo Anhembi e pela Marquês de Sapucaí em 2018. Os textos estarão disponíveis às segundas, quartas e sextas, seguindo o resultado do último carnaval.



"Senhoras do Ventre do Mundo"
Acadêmicos do Salgueiro
"Firma o tambor pra rainha do terreiro,
é negritude, Salgueiro.
Herança que vem de lá,
na ginga que faz esse povo sambar." 
A dança das cadeiras do pós-carnaval foi agitada na Silva Teles. Com a saída do casal Lage, carnavalescos que assinaram os desfiles do Salgueiro por quase 15 anos, a vacância do cargo foi preenchida por Alex de Souza, que veio da co-irmã Vila Isabel. No carro de som, também vimos mudanças: Serginho do Porto deixou a dupla com Leonardo Bessa e foi para a Estácio de Sá. Em seu lugar, entraram Hudson Luiz e Tuninho Jr.

A partir de um gostinho de "quero mais" ocasionado pelo julgamento de 2007 – que deixou a Academia do Samba de fora do desfile das campeãs com o enredo "Candaces" –, nasceu o enredo do Salgueiro para 2018. "Senhoras do Ventre do Mundo" é o carnaval da alvirrubra do Andaraí, e o título foi retirado de um verso deste samba de onze carnavais atrás. O enredo não tem patrocínio e vai falar sobre as mães do mundo, as raízes negras, as mães do samba, homenageando a força das mulheres, sob o comando da presidente Regina Celi, um dos mais representativos nomes femininos do carnaval, espaço ainda muito machista.

Alex de Souza é conhecido pelo seu requinte e promete fazer um desfile que trará aos salgueirenses a confiança para a conquista de um título, que não vem desde 2009, com "Tambor", último campeonato da escola.

O samba:
A disputa da Academia, como de costume, foi acirrada e tomada pelos ânimos aflorados e pela emoção da torcida. De forma equilibrada, a escolha teve quatro sambas que se destacaram, nas encabeças por Rafa Hecht, Antônio Gonzaga e Luiz Pião, Xande de Pilares e Marcelo Motta. A final levou as três primeiras obras para a grande decisão, deixando alguns torcedores desolados pela queda da parceria de Motta, campeão em 2016 e 2017, mas a presidente Regina Celi, em um desabafo, esclareceu que a escola ouviu a vontade da comunidade, que marcou presença na quadra ao longo das apresentações.

O resultado coroou a parceria de Xande (que contou também com a autoria de Demá Chagas, Dudu Botelho, Renato Galante, Jassa, Leonardo Gallo, Betinho de Pilares, Vanderley Sena, Ralfe Ribeiro e W. Corrêa) como campeã e o samba será comandado pelo trio de intérpretes da escola, além do próprio compositor que comandou a parceria vitoriosa. O mesmo já vem participando do carro de som há alguns anos.

No CD, a gravação do Salgueiro foi uma das que mais se destacaram, contando com a participação especialíssima de Zezé Motta, personalidade muito representativa pro enredo, diga-se de passagem, que cantou os versos do refrão do meio na introdução da faixa. Ao contrário do que se temia, os intérpretes tiveram um bom entrosamento e formaram um conjunto que deu conta do samba, surpreendendo positivamente.

O Salgueiro será a quinta escola a tingir de vermelho a Avenida na segunda-feira de carnaval.

Liga SP abre venda online de ingressos para o público geral e loja para venda do CD do carnaval 2018


Liga SP, responsável pela administração e organização dos desfiles das escolas de samba da cidade de São Paulo, inicia nesta segunda-feira (11 de dezembro) as vendas dos ingressos para os desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Anhembi, através do site http://ingressosligasp.com.br.

Serão comercializados 33 mil ingressos por noite de desfiles no Sambódromo, totalizando 132 mil ingressos para os quatro dias de folia em São Paulo. Os valores variam de acordo com o dia escolhido e conforme o setor, com os preços a partir de R$30 para arquibancada; R$270 para cadeira de pista; R$1.210 para mesa de pista; e R$10.000 para camarote.

Os produtos do Carnaval SP 2018 e o CD Samba de Enredo Carnaval SP 2018 também estarão disponíveis a partir de hoje (11 de dezembro – segunda-feira) para venda exclusiva na loja da estação São Bento do metrô.

A abertura da venda de ingressos na bilheteria do Sambódromo será a partir do dia 5 de janeiro. Além disso, haverá ponto de venda na estação do metrô São Bento (linha 1 - azul), localizado na região central de São Paulo.


Vale lembrar que o CD duplo contendo os sambas de enredo do Grupo de Especial e de Acesso, além do CD do grupo de Acesso 2 estarão disponíveis em breve nas plataformas digitais Spotify, Rdio, iTunues e Google Play.

Confira os pontos de venda e horários das bilheterias:
- Bilheteria Sambódromo do Anhembi:  Portão 1, localizada na Avenida Olavo Fontoura, 1209 – Santana

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 12h às 20h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.

Forma de pagamento: Dinheiro, cartão de crédito, cartão de débito
Camarote somente através do telefone (11) 3981-5170 ou pelo e-mail camarote@soudaliga.com.br

- Estação do Metrô São Bento (linha 1 – azul)
Horário de funcionamento: de segunda-feira a sábado, das 9h às 19h;
Forma de pagamento: Dinheiro, cartão de crédito, cartão de débito

Ingressos Online: http://ingressosligasp.com.br

Programação completa do Carnaval SP 2018:

Grupo Especial:

Sexta-feira (9 de fevereiro de 2018)
23h15 – Independente Tricolor
0h20 – Unidos do Peruche
1h25 – Acadêmicos do Tucuruvi
2h30 – Mancha Verde
3h35 – Acadêmicos do Tatuapé
4h40 – Rosas de Ouro
5h45 – Tom Maior

Sábado (10 de fevereiro de 2018)
22h30 – X-9 Paulistana
23h35 – Império de Casa Verde
0h40 – Mocidade Alegre
1h45 – Vai-Vai
2h50 – Gaviões da Fiel
3h55 – Dragões da Real
5h – Unidos de Vila Maria

Grupo de Acesso:
Domingo (11 de fevereiro de 2018)
21h – Barroca Zona Sul
22h – Leandro de Itaquera
23h – Nenê de Vila Matilde
0h – Colorado do Brás
1h – Camisa Verde e Branco
2h – Águia de Ouro
3h – Pérola Negra
4h – Imperador do Ipiranga

Grupo de Acesso 2:
Segunda-feira (12 de fevereiro de 2018)
20h - Uirapuru da Mooca
20h50 - Dom Bosco
21h40 - Brinco da Marquesa
22h30 - Combinados de Sapopemba
23h20 - Amizade Zona Leste
0h10 - Estrela do Terceiro Milênio
1h - Torcida Jovem
1h50 - Unidos de Santa Bárbara
2h40 - Camisa 12
3h30 - Mocidade Unida da Mooca
4h20 - Morro da Casa Verde
5h10 - Tradição Albertinense

Desfile das Campeãs:
Sexta-feira (16 de fevereiro de 2018), com início previsto para às 22h
- Vice-Campeã do Grupo de Acesso
- Campeã do Grupo de Acesso
- 5º Lugar do Grupo Especial
- 4º Lugar do Grupo Especial
- 3º Lugar do Grupo Especial
- Vice-Campeã do Grupo Especial
- Campeã do Grupo Especial