sábado, 23 de julho de 2016

Vila Maria: "Aparecida, a Rainha do Brasil"



Apresentação do Enredo
Todas as vezes que venho ver Aparecida
Venho pensando e tentando entender a imagem pequena,
Maria morena, ferida e alquebrada, no rio jogada, depois encontrada
Escola de fé!
A rede pescou, o povo juntou, de manto a cobriu, da cor do Brasil
E então coroou…
E o pobre e o rico, o branco e o negro, caboclos e índios se deram as mãos
Mil vezes Aparecida!

(Padre Zezinho)

Sob a luz do carnaval, o Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Unidos de Vila Maria faz de seu desfile um momento de profunda celebração da fé. Emoção infinita e inesgotável, que embala na procissão do carnaval os divinos mistérios que envolvem um dos maiores símbolos de fé do povo brasileiro.

Um inexplicável sentimento toma conta de toda uma comunidade. Sentimento que floresce, cresce, comove, arrebata e propaga dentre todos os sambistas. Corações se inundam de amor. Almas reluzem na fé. Formada por um povo fiel, devoto e apaixonado, a nossa Escola de Samba faz do samba oração em louvor a ela… A Rainha dos Céus, Mãe dos Homens: Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida!

Deixamos a ti – Virgem Santa – a nossa felicidade plena em forma de preces. Preces entoadas por milhares de corações “unidos”, reunidos e guardados por teu manto de amor. Desfilando com o brilho da tua luz, dedicamos a ti o nosso canto mais puro de “amor e devoção”, pois a fé em ti é sublime e inabalável.

Rogai por nós, iluminai teus filhos… Óh, Mãe de Deus!

Avante, com fé… Unidos de Vila Maria!

 
Sinopse do Enredo

“Sempre que o meu pranto rolar
Ponha sobre mim suas mãos
Aumenta minha fé e acalma o meu coração”

(Trecho de “Nossa Senhora”, de Erasmo Carlos e Roberto Carlos)

 
Prece de Abertura – Cântico da Aparição

Aparecida das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!
 
Óh! Mãe Aparecida… Vieste a nós!

Pelos Caminhos do Ouro, no Vale do Paraíba, naquele quinhão de terra, rincão do Brasil, tem início uma linda história de fé… A tua história!

Chega ao pequeno vilarejo a notícia de que o Conde de Assumar, Governador da Província de São Paulo e das Minas Geraes, estaria de passagem por ali a caminho de Vila Rica – terra de muito ouro e reluzentes diamantes.

Convocados pelo poder local e iluminados pelos céus, três pescadores seguem a procura de peixes no Rio Paraíba. Desceram o rio e nada conseguiram… Depois de muitas tentativas, eis que um deles lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de barro… Era Nossa Senhora da Conceição, sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem.

Bendita rede, iluminada trama de humilde ofício!… Dali em diante, peixes chegaram em abundância para aqueles três humildes pescadores… Eis o primeiro milagre… O milagre da fartura!

“Aparecida” das Águas… Do Caminho de Vila Rica ao Milagre da Fartura… Óh, Virgem Santa!

 
Prece nº 1 – Cântico da Devoção

Nossa Senhora da Conceição Aparecida… No Cortejo da Fé Ardente, Um “Caso de Amor e Devoção”

Óh! Mãe Aparecida… Espalhaste em nossos corações o teu louvor!

No auge do esplendor barroco do Vale do Paraíba a devoção foi crescendo no meio do povo sofrido e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante de ti, a santa que “apareceu”… Desde então és tu… “Aparecida”!

De um oratório de família, viraste posse do vigário, foste aberta à visitação pública… Mas foi graças aos bandeirantes e aos tropeiros – que ali faziam suas paragens rumo às riquezas das Geraes – que a fama dos teus poderes extraordinários, Nossa Senhora da Imaculada Conceição

“Aparecida”, foi se espalhando pela vastidão desse país menino.

O número de fiéis aumentava a cada dia… A louvação à ti, Mãe Santa, crescia, multiplicava, e número de romeiros só fazia aumentar… Eis no coração do povo a louvação à Rainha dos Céus!

Na peregrinação do povo à Mãe Virgem, os caminhos da fé ardente… Para aquela gente simples e sofrida daquele projeto de nação, foi o alento…

No cortejo da fé ardente, és um “caso de amor e devoção”!

 
Prece nº 2 – Cântico de Luz

Óh! Virgem… No Percurso da História o Teu Brilho Reluz… A Coroa é de Ouro, o Manto é Azul!

Óh! Mãe Aparecida… Iluminaste este povo com o brilho da fé!

A tua luz foi vista por famosos estrangeiros… A fé misericordiosa em ti ganhou retrato na pintura de Debret… Naturalistas registraram costumes em teu louvor… Saint-Hilaire se encanta ao observar sinais de profunda comoção à tua imagem, Em tua capela teria rezado Dom Pedro I, pedindo luz e proteção para a mais nobre missão de sua existência: A Independência do Brasil!

Também da nobreza vieram presentes a ti em sinal de agradecimento… Presentes da Princesa Isabel, que dariam a forma definitiva pela qual te tornaria popularmente conhecida: O manto e a coroa!

Surge a Basílica Velha. Através da Estrada de Ferro do Norte, a fé em ti – Nossa Senhora Aparecida – percorre distâncias e arrebata rincões inimagináveis… De fenômeno da fé local, torna-te estandarte da crença do povo brasileiro… És a santa nos trilhos da fé!

Óh! Mãe Amantíssima, no percurso da história o teu brilho reluz… A coroa é de ouro, o teu manto é azul!

 
Prece nº 3 – Cântico dos Milagres

Nas Súplicas do Povo, o Clamor de Salvação e Liberdade… Milagres da “Mãe Negra”

Óh! Mãe Aparecida… Tem de piedade de nós!

Dia-a-dia, sol a sol… Súplica, gratidão, clamor e fé!

Milhares de fieis percorrem distâncias muito além do que se possa sequer imaginar para a ti pedir, mas também para agradecer… Vem dos quatro cantos do Brasil devotos testemunhando milagres atribuídos à vossa misericórdia… Romeiros em preces clamam: Rogai por nós… Óh! Mãe Santa!

Muitos são teus milagres popularmente reconhecidos… Milagre da onça, testemunho da fé na salvação… Milagre do cavalo preso, exemplo da fé que comove e impulsiona… Milagre das velas, demonstrando a fé persistente que acende a alma… Porém, milagre maior foi o do Negro Zacarias, pois igual a este jamais se viu. Verdadeiro louvor da fé na liberdade. Dádiva divina que serviu de alento e esperança no raiar de um novo tempo… A fé rompeu grilhões!

Para quem clama por ti, Virgem Aparecida, é certa a graça a alcançar, pois a verdadeira fé – absoluta e altaneira – faz sonhar com o fim dos percalços do caminho e acreditar no impossível.

Afinal, nas súplicas do povo o clamor de salvação e liberdade… Os teus milagres são nosso amparo… Milagres da Mãe Negra!

 
Prece nº 4 – Cântico de Proteção

Embala Nossa Pátria Mãe Gentil… És Consagrada Padroeira… A Rainha do Brasil!

Óh! Mãe Aparecida… Cobriste este país com teu sagrado manto… Olhai por nós!

Desde muito tempo, quando o Brasil sequer sabia o tamanho do Brasil, tua pequena imagem se tornara símbolo da identidade de um povo moreno na pele e rico na fé.

E fora tua divina proteção – materialização de súplicas atendidas – que fizeram com que singela e amorosa figura se perpetuasse na memória e no sentimento da nação, entrando em todos os lares. Conhecendo intimamente todos os corações brasileiros.

Inestimável a identificação e imensa a confiança do povo em sua santa de devoção, escolhida por corações radiantes de fé, sendo proclamada honrosamente a “Rainha do Brasil”… Porém, clamor maior não poderia haver senão a consagração definitiva: Padroeira!

De lá para cá, batizaste Marias, Aparecidas, Cidos, Cidas e Cidinhas… Culturalmente se faz presente nas telonas dos cinemas, nas telinhas da TV… Abençoaste uma legião de caminhoneiros que percorre as artérias desse país… Nos rodeios, a fé sertaneja exalta a ti, Santa Protetora!

E as canções… Ah! São tantas as canções de fé… Da “romaria de caipira, Pirapora, Nossa Senhora de Aparecida”, dos fieis peregrinos que pedem para cuidar da “sua vida, do seu destino, do seu caminho”… Cuida dos filhos teus!

Orgulhosamente, és tu o símbolo maior dessa pátria mãe gentil… És a nossa Padroeira… A Rainha do Brasil!
 

Prece nº 5 – Cântico de Paz

No Coração dos Fieis, o Relicário da Paz… 300 Anos de Amor!

Óh! Mãe Aparecida… Zelai por nós e cubra-nos de amor!

Em teu louvor foi consagrada a cidade onde escolheste se tornar “Aparecida”… Um Santuário foi erguido em tua fé… Abrigo do povo, casa de Deus… Cenário da infinita beleza da fé popular.

Virgem Mãe… Cubra de paz esse povo sofrido, sedento de amor, de compaixão e de esperança…

Proteja a todos sob teu manto… Cuida daqueles que se curvam diante de sua misericórdia… Relicário da paz!

Hoje, a Unidos de Vila Maria clama pelo futuro desse país menino que ainda aprende a cuidar dos filhos teus… Filhos que esperam por ti… Óh! Mãe de Deus!

Nossa Senhora Aparecida… Tua luz nos guia e aponta o caminho. A ti cantamos em louvor…

São sessenta e cinco minutos em romaria, por 300 anos de amor!

Rogai por nós, óh! Mãe… Amém!

 

Sidnei França
Carnavalesco do G.R.C.S.E.S. Unidos de Vila Maria

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário