domingo, 4 de setembro de 2016

Caia no samba: confira os hinos oficiais das escolas da Série A para 2017



Se engana quem acha que o carnaval está longe, faltam pouco menos de 200 dias pra nossa festa mais amada e as quadras das escolas se enchem de foliões a cada semana para as disputas de samba. Todas as agremiações da Série A já escolheram seus hinos para 2017 e nós reunimos aqui todos eles e os bafões por trás das disputas, então dê o play e venha cair no samba com a a gente. 




Acadêmicos do Sossego

Eu vi Mamãe Oxum clarear a cachoeira, Zezé Motta vai brilhar, nasce uma estrela.



A primeira escola da Série A a escolher seu samba enredo será também a que abrirá os festejos na Sapucaí em 2017. Não teve pra ninguém, a escola de Niterói coroou a obra inovadora da parceira de Felipe Filósofo, que é pentacampeão na azul e branco. O samba inova ao usar o formato de diálogo para contar a história da homenageada Zezé Motta. Será lacre certo. 

União do Parque Curicica

Vem comigo amor, sou Curicica, aqui o samba é nossa raiz



Com uma disputa curta com apenas 4 sambas concorrentes, a representante da Zona Oeste foi a segunda agremiação a sacramentar a obra que embalará sua passagem na avenida. O enredo propõe uma viagem ao baú da memória com várias referências a ícones da cultura POP, brincadeiras infantis e fatos dos anos 90/80. A escola optou por uma junção de duas canções, ao contrário do que essa escolha sempre polêmica sugere as obras se encaixaram muito bem. Criando um samba bem leve e divertido como promete ser o desfile da escola.

Porto da Pedra

Abram alas! Meu tigre chegou cantando versos de amor...


Além da primeira escola do grupo escolher seu samba, a última também já o fez. Em um excelente momento, o povo de São Gonçalo tem tudo para levantar a Sapucaí com seu ótimo enredo sobre as marchinhas carnavalescas. Num tema musical como esse, a obra da parceria de Bira fugiu do clichê de virar uma colcha de retalhos das canções homenageadas, deixando um resultado irreverente e bem leve como a história das marchinhas. 

Rocinha

O embalo do meu samba vai te guiar, olha a estrela no céu, é Viriato a brilhar 


Abrindo os trabalhos no sábado de carnaval, a escola de São Conrado levará para a avenida a história do importante carnavalesco Viriato Ferreira, num trabalho que promete comprovar o talento do carnavalesco João Vitor Araújo. A bela obra conta poeticamente a trajetória do homenageado. A parceria comandada por Flavinho Segal já foi campeãs outras duas vezes por lá.

Alegria da Zona Sul 

Na alegria, o batuque é de arerê. Beth Carvalho o meu samba é pra você!



A representante da Zonal Sul carioca vai fazer uma grande homenagem a Madrinha do Samba, Beth Carvalho e para ser a segunda escola da desfilar na sexta de carnaval escolheu o samba-enredo da parceria de Pixulé. É muita habilidade meu povo! O intérprete se sagrou bicampeão na agremiação, depois de emplacar também a vitória no ano passado com a música sobre Ogum. O samba escolhido faz um passeio pelas grandes canções que marcaram a obra da homenageada.

Cubango

Vai minha inspiração, com prazer sou João, um certo Nogueira



A verde-e-branca do outro lado da baía que sonha fazer sua estreia no Especial, está fazendo seu dever de fazer para realizar tal façanha. Primeiro com o excelente enredo sobre João Nogueira que misturará a trajetória do sambista com a história do samba. Depois com a escolha do que promete ser um dos sambas mais emocionantes do grupo. A obra, que tem entre os seus compositores um dos mestres por trás do inesquecível Ita do Salgueiro, mergulha de maneira poética no tema proposto.

Estácio de Sá

Herança que vem de pai, lembranças do seu lugar, saudade meu remédio é cantar! 





Mais uma das sete homenagens que passarão na avenida pela Série A em 2017, a agremiação alvirrubra contará a vida e obra do cantor Gonzaguinha. O herdeiro do rei do Baião, que é cria do morro de São Carlos, passará na passarela pela poesia do próprio filho. É que um dos autores, Daniel Gonzaga, é filho do homenageado e já integrava a ala de sambistas da escola. Além dele, a parceria conta com nomes renomados das disputas nas escolas, como Cláudio Russo, Lequinho e Júlio Alves.

Império da Tijuca

O meu Império é a voz da justiça, o morro da Formiga canta em louvação





O morro da formiga volta a apostar em temas religiosos em 2017, levando para a Sapucaí a história de São João Batista e sua relação com o orixá Xangô no sincretismo. Para contar o enredo, a escola escolheu a parceria de Gilmar L. Silva, que ganha pela primeira vez na verde e branco. A obra foi abraçada pela comunidade e conta de forma bem valente o enredo que promete embalar o público.

Unidos de Padre Miguel

Hoje a Unidos de Padre Miguel tem o poder de curar!





Com uma ótima safra, a UPM teve uma missão difícil ao escolher seu samba para o próximo carnaval. Numa final emocionante quem se sagrou campeão foi uma super parceira integrada por Samir Trindade, Cláudio Russo, Jr. Beija-Flor, W. Côrrea, entre outros. O enredo narrará a saga do orixá Ossain, relacionado ao poder da cura e as matas. O samba valente com uma super pegada afro promete fazer todo mundo girar no terreiro. 

Viradouro

Viradouro... foi nesse chão que me criei, aqui todo menino é um rei!





Samba bom é o que não vai faltar em Niterói em 2017. A cidade terá um número de recorde de três representantes na Série A. Terceira escola a desfilar na sexta-feira, a dona do título de 1997 abordará o universo infantil e o samba escolhido segue uma linha leve e vibrante como pede o enredo. A obra é assinada por Felipe Filósofo que também é nome por trás de outro hino niteroiense, o da Sossego que abrirá os festejos do grupo. 

Inocentes de Belford Roxo

Vou virar pelo avesso, de trás pra frente, de baixo pra cima, sou Inocentes




Com uma safra que não foi das melhores, a Caçulinha da Baixada teve uma final polêmica. O presidente Reginaldo Gomes resolveu passar por cima da direção da agremiação e escolheu sozinho a obra que vai narrar o enredo sobre Vilões. Será mais um samba com a autoria de Samir Trindade no grupo de acesso. A obra tem uma pegada irreverente e bem divertida.

Renascer de Jacarepaguá

A chibata não estala mais, quantos sonhos guarda o velho cais





Pelo quarto ano consecutivo, a Renascer encomendou a canção que a representará na avenida. Depois de belas obras, a incumbência permaneceu nas mãos dos músicos Moacyr Luz e Cláudio Russo, a mudança para o ano anterior foi a saída de Teresa Cristina para a entrada do intérprete da agremiação, Diogo Nicolau. O belíssimo samba aborda o encontro fictício entre a escritora Maria Carolina de Jesus e o almirante negro João Cândido. 

Santa Cruz

Nossa história é paixão, verdadeira raiz. É verde e branco um final feliz






Com uma disputa curta com apenas 4 composições, a agremiação da Zona Oeste anunciou a segunda junção nos sambas da Série A nesta safra. As parcerias escolhidas foram as do multi-campeão Cláudio Russo e Rafael Lima. As alterações foram bem pontais, a maior parte da letra é da parceria de Russo, apenas a cabeça do samba e o refrão principal, com alterações, vieram da canção de Rafael. O enredo fará uma homenagem a literatura infantil.

Império Serrano

Tem poesia no ar, você já sabe quem sou pelo toque do agogô





A Coroa Imperial foi a última escola do grupo a definir seu hino este ano. Sempre com uma safra respeitável, o Império surpreendeu ao escolher a parceria de Lucas Donato, que foi abraçada pela comunidade de Madureira. A parceria desbancou rivais de peso, como o grande Arlindo Cruz e o enorme Aluísio Machado. Com apenas um refrão, o hino abusa da poesia para render uma homenagem a Manoel de Barros, nada mais justo.




Começamos com o pé direito para 2017, as escolas montaram uma ótima safra para a gente se acabar na Sapucaí. Em breve, voltamos com todos os babados do grupo especial de São Paulo e do Rio de Janeiro.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário