sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

15 desfiles para perder o preconceito com o carnaval paulistano

Foi no Rio que as escolas nasceram e se tornaram a maior expressão popular do nosso país, com a difusão do samba em todo o território nacional não demorou para surgirem agremiações por todo país. São Paulo carrega consigo o título da segunda maior folia do Brasil, transmitida em rede nacional pela Globo há décadas, sempre na sexta e sábado de carnaval. Apesar da grandiosidade, a festa paulista divide opiniões. Não falta bairrismo e muito preconceito contra os desfile de lá por parte dos cariocas de outras parte do país. É bem verdade que a terra da garoa soube construir um espetáculo tão gigante quanto o do Rio, mais do que isso desenvolveu suas marcas e características próprias, que deixam sua brincadeira ainda mais original. 



Para acabar de vez com essa lenda de que o carnaval da terra da Garoa deve alguma coisa para o do Rio nós listamos nada menos que 15 desfiles dos últimos anos que mostram toda a beleza e samba no pé que só a terra da 

1 - Rosas de Ouro 2005 - Mar de Rosas


Para começar o dever de casa, um dos desfiles mais lindos da história de São Paulo e extremamente injustiçado. As alegorias e fantasias requintadas contaram ainda com uma moldura de um céu azul e rosa, exatamente as cores da Rosas de Ouro, num espetáculo de marejar os olhos. Um desfile emocionante mas que terminou injustamente em apenas sétimo lugar.

2 - Vai Vai 2011 - A música venceu



A maior campeã paulista é a dona de um pavilhão branco e preto que carrega muita história e superação. A superação inclusive foi a palavra guia desse arrebatador desfile da Saracura com um dos melhores sambas da história da escola. A homenagem ao grande maestro João Carlos Martins foi emocionante e garantiu o campeonato para a escola do Bixiga.

3 - Nenê de Vila Matilde 1959 - Xica da Silva


Se você acha que é de hoje que as escolas de SP fazem desfiles históricos está muito enganado. A Nenê de Vila Matilde é uma das maiores escolas por lá e protagonizou uma verdadeira revolução da ao cantar enredos que colocavam o negro como protagonista, anos antes dos desfiles também revolucionários comandados por Pamplona no Salgueiro. A homenagem a Xica da Silva é um desses exemplos, quatro anos de sair pela agremiação da Tijuca ela foi cantada nesta obra-prima do samba brasileiro. Saiba mais da história da Nenê aqui.

4 - Mocidade Alegre 2012 - Ojuobá - No Céu, os Olhos do Rei... Na Terra, a Morada dos Milagres... No Coração, Um Obá Muito Amado!


E nessa lista não podia falar ela, a Mocidade Alegre. Verdadeiro bicho papão da folia, a Morada do Samba colecionou títulos e mais títulos na última década. Com direito a um imbatível tricampeonato, dessa coleção a gente destaca o gigante desfile de 2012 que homenageou o centenário do baiano Jorge Amado de uma maneira para lá de original, abordando a religiosidade africana da obra do escritor com foco no livro "Tenda dos Milagres". Uma aula de luxo, beleza e samba no pé.

5 - Vila Maria 2007 - Vila Maria: Canta, Encanta com minha história... Cubatão Rainha das Serras


A Vila Maria nunca ganhou o carnaval, mas já quase chegou lá algumas vezes, sempre brinda o público com grandes apresentações. Em 2007, no carnaval assinado pelo talentoso Wagner Santos , foi uma das vezes que isso aconteceu. O merecido terceiro lugar foi conquistado com um desfile criativo sobre a cidade de Cubatão, a rainha das serras, com um desenvolvimento super original de um enredo CEP tradicional. Vale conferir e se impressionar com a imponente abertura da escola.

6 - Tucuruvi 2013 - Mazzaropi, o adorável caipira - 100 anos de alegria!


O mesmo Wagner Santos vem assinando uma série de belos carnavais na Acadêmicos do Tucuruvi nós últimos anos. A simpática escola tricolor vem apresentando carnavais leves e coloridos, naquela clássica cartilha ensinada pela União da Ilha anos atrás. O desfile que homenageou o centenário do grande ator Mazzaropi foi um espetáculo delicioso de se assistir com essas características. Para arrematar, ainda teve um samba daqueles que grudam na cabeça. 

7 - Império de Casa Verde 2007 - Glórias e Conquistas - A Força do Império está no salto do Tigre


Se você é fã de luxo e imponência, com direito a alegorias enormes e suntuosas, não pode deixar de conferir o verdadeiro espetáculo da Império de Casa Verde, assinado por ninguém menos que o eterno gênio High-Tech Renato Lage. O enredo sobre os impérios da humanidade contou com uma plástica das mais bonitas da história paulistana. Como não se impressionar com os cinco grandiosos tigres em cores diferentes? Infelizmente, após um bicampeonato a escola da Casa Verde terminou em apenas quinto lugar, uma injustiça.

8 - Mancha Verde 2006 - Bem aventurados sejam os perseguidos por causa da justiça dos homens... Porque deles é o reino dos céus


Há quem diga que o maior problema da festa em Sampa são as escolas ligadas à torcidas organizadas de futebol, e de fato há um histórico complicado em relação a isso. Para bem ou para o mal, escolas como a Gaviões e a Mancha são uma das características do carnaval paulista. E elas não nos deixam de nos deleitar com apresentações carregadas de força e emoção. Foi assim em 2006 com o desfile da Mancha Verde que já foi reeditado em 2014 e emocionou o Anhembi. 

9 - Mocidade Alegre 2003 - Omi - O Berço da Civilização Iorubá


A fase rolo compressor da Mocidade Alegre começou apenas em 2004 quando ela deu fim a jejum de 24 anos sem ganhar o título principal. Mas um ano antes, a escola do bairro do Limão já havia feito uma apresentação de tirar o fôlego com um dos sambas mais bonitos de sua história. A temática era ligado ao continente africano, uma das grandes marcas da Morada.

10 - Peruche 1989 - Os Sete Tronos dos Divinos Orixás 


Uma das mais tradicionais escolas paulistas, a Peruche também amarga o maior jejum da folia de lá, seu último em campeonato foi em 1967. Mas na década de 1980, a escola se destacou pelo intercâmbio com a folia carioca, levando profissionais que fizeram grandes apresentações e elevaram o patamar da agremiação que em as cores do Brasil. Em 1989, ninguém menos que o imortal Joãosinho Trinta assinou o carnaval da escola e fez um desfile histórico. Infelizmente, assim como no Ratos e Urubus do mesmo ano, o resultado foi o vice campeonato.

11 - Águia de Ouro 2013 - Minha missão. O canto do povo. João Nogueira


Sabe aquela história de venceu mas não levou? Foi exatamente o que aconteceu com a Águia de Ouro em 2013 quando homenageou o ícone do samba João Nogueira. Com um belo trabalho plástico do controverso carnavalesco Cebola e um samba do filho do homenageado, Diogo Nogueira, a Águia fez uma apresentação como poucas na sua história. Infelizmente, ela acabou estourando o tempo máximo de desfile e com as severas punições do julgamento paulista para esse erro ela viu o campeonato escapar terminando apenas em terceiro lugar.

12 - Rosas de Ouro 2010 - Cacau: um grão precioso que virou chocolate, e sem dúvida se transformou no melhor presente


O casamento entre a Rosas de Ouro e o carnavalesco Jorge Freitas foi um dos raros encontros que acontecem no carnaval. O estilo requintado, barroco e elegante de Jorge serviu muito bem a Roseira e brindou ela com grandes apresentações. Das quais, nós destacamos o brilhante campeonato de 2010 que teve a polêmica com o patrocínio da Cacau Show. O belo desfile cheira a dinheiro pela riqueza dos materiais e se tornou emblemático pela quebra do jejum de 16 anos, consolidando o mandato de Angelina Basílio que sofreu após herdar a presidência de seu pai. Sua entrevista após o anúncio da resultado é um dos momentos mais lindos da história recente da folia.

13 - Mocidade Alegre 2015 - Nos palcos da vida... Uma vida no palco: Marília


Vai ter mais Mocidade Alegre, sim! Nos desfiles mais recentes que aconteceram no Anhembi é impossível não destacar a emocionante homenagem que a Morada fez ainda em vida à Marília Pêra, que faleceria no fim do mesmo ano. Com um excelente trabalho plástico da dupla multi-campeã Márcio Gonçalves e Sidnei França e um samba simpático, a agremiação presidida por Solange Cruz garantiu um vice campeonato inesquecível.

14 - Nenê de Vila Matilde 2001 - Voei, Voei, na Vila Aportei, Onde Me Deram a Coroa de Rei


Apesar da história vitoriosa e revolucionária, a Nenê de Vila Matilde vem amargando uma fase difícil nos últimos anos com alguns rebaixamentos e colações na parte inferior da tabela. O último título da azul e branco aconteceu em 2001, quando ela voltou às suas raízes e louvou a negritude num grande desfile. O campeonato foi dividido com a também enorme Vai Vai.

15 - Vai Vai 2009 - Mens Sana et Corpore Sano - O Milênio da Superação


Para encerrar nossa missão (esperamos que você já tenha se convencido), elegemos um desfile da tradicional Vai Vai, famosa por sua garra e valentia. O desfile sobre saúde foi assinado por Chico Spinoza que fez história na Saracura, com títulos em 98, 99 e 08. Além de mais dois vice-campeonatos em 97 e em exatamente 2009. Foi um desfile grandioso e luxuoso, com a marca que só a Vai Vai tem.

Mocidade, Nenê, Peruche, Rosas, Império, Vai Vai e tantas outras gigantes escolas de São Paulo já nos presenciaram com sambas e desfiles memoráveis que se torna até incompreensível alguém que desmereça ou tente diminuir o carnaval da terra da Garoa. Nós, que não somos bobos nem nada, vamos sambando daqui e de lá, em São Paulo, no Rio, onde balbuciarem tamborins acompanhados por surdos, repiniques e cuícas, estaremos lá! E para o preconceito... Xô!
Reações:

Um comentário:

  1. Excelente post. Pertinente para esfregar na cara desses xiitas (entre eles alguns coleguinhas da imprensa carnavalesca) que o carnaval paulistano é tão bom quanto o do Rio.

    ResponderExcluir