quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Na Tela da TV: CNT e Band caem na folia


O Band Folia é um evento tradicional do carnaval. Seja cobrindo o carnaval de Salvador, o de Vitória (leia mais aqui) ou mesmo o do Rio de Janeiro, a Band (cujo fundador já foi, inclusive, homenageado em São Paulo, conforme você pode ler aqui) sempre marca presença na festa. A CNT, que hoje agoniza – mas não morre –, também já participou de muitos carnavais, com muito boas coberturas, inclusive.

E vamos começar por ela. A CNT transmitiu o Acesso do Rio de Janeiro de 2002 a 2009, numa cobertura intitulada “Carnaval do Povão”, que fazia valer o seu nome, afinal, tratava-se de uma cobertura bastante informal _ formato que a Globo tenta implementar há alguns anos e claramente bastante inspirado no formato que a Manchete levava, com sucesso, ao ar e que a consolidou no mundo do carnaval.

A transmissão da emissora era, digamos, bastante original. Para a transmissão dos desfiles de 2003, por exemplo, reuniu Jorge Perlingeiro na apresentação com comentários dos carnavalescos Max Lopes e Milton Cunha, além de Elke Maravilha e Miro Ribeiro, que fez a cobertura do SBT mais recentemente também (leia aqui). A de 2005, por exemplo, teve até o músico Jorge Aragão (que, mais pra frente, fez participação nos comentários de alguns desfiles de São Paulo, na Globo).

Havia, aliás, algumas participações especiais. Em 2008, durante o desfile da Estácio de Sá (A História do Futuro), a conceituada porta-bandeira Selminha Sorriso, por exemplo, dá a honra de sua presença na transmissão e aproveita pra falar um pouco sobre o período em que ela ficou na escola (ganhando, inclusive, o título, em 1992). Veja abaixo, no começo da transmissão do desfile:


2009 foi o último ano em que a CNT transmitiu o seu “Carnaval do Povão”. Em 2010, os direitos voltaram às mãos da Band, que já havia transmitido o desfile em 1999 e 2000. Em 2010, Sérgio Costa e Adriane Galisteu apresentaram os desfiles, com comentários também de Miro Ribeiro. No mesmo ano, a emissora transmitiu o Acesso de São Paulo (com apresentação de Fernando Vieira de Mello), o desfile das campeãs do Rio (com, pasmem, apresentação de José Luiz Datena – sim, o cara do Brasil Urgente apresentando desfile de escola de samba! – e Adriane Galisteu, além de comentários de Milton Cunha) e o desfile das campeãs de São Paulo (com, novamente, Fernando Vieira de Mello, além de Silvia Poppovic e comentários de Eliana de Lima).

Em seu último ano de transmissão, a Band, para o desfile de Acesso do Rio, trouxe o mesmo time de apresentadores e comentarista: Sérgio Costa, Adriane Galisteu e Miro Ribeiro. Neste ano, uma incrementada na transmissão: uma pequena reportagem que Galisteu fez nos barracões das escolas, mostrando um pouco do trabalho realizado. A Band também transmitiu o desfile de acesso de São Paulo e os das campeãs dos dois estados. Luciano Faccioli e Silvia Poppovic comandaram os trabalhos de São Paulo.


Depois disso, a Band focou a sua transmissão da folia nos carnavais do Nordeste, além do carnaval de Vitória (ES) até 2015. Em 2012, o Acesso do Rio e os desfiles das campeãs ficaram para o SBT, enquanto o Acesso de São Paulo ficou para a Cultura. Em 2013, com a criação da Série A, a Globo passou a transmiti-la para o Rio de Janeiro, com os demais desfiles ficando à mercê. Em 2014, o Viva, canal a cabo Globosat, transmitiu esses desfiles. Foi uma cobertura esforçada, com bons comentaristas, mas que não se repetiu. Em 2015, a Globo transmitiu os desfiles das campeãs através do G1, com mais simplicidade mas com competência.

No ano passado, os direitos ficaram com a TV Brasil, que fez uma cobertura elogiada do evento, com comentaristas rotativos durante os desfiles. A experiência deu certo e será repetida neste ano. O carnaval, é claro, agradece!


Reações:

Um comentário:

  1. Mais um ótimo texto do Jupa. Faço só uma pequena correção: o saudoso Carnaval do Povão durou até 2008. Em 2009, a então recém-criada LESGA (de triste memória) assumiu a transmissão do desfile, alugando o espaço na CNT - inclusive, o Grupo A daquele ano teve a narração do grande Paulo Stein.

    ResponderExcluir