quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

"O que esperar?": Tudo sobre os desfiles da Série A





Não somos a vidente do site de samba que rima com paparazzo, muito menos o mestre soberano, Laíla, mas viemos aqui consultar nossos orixás e dar alguns pitacos. Grandes especialistas brasileiros do samba. Fizemos um resumão do que pode surpreender ou fazer a escola empacar na curva. Apurando todas as notícias que saíram, os babados, as tretas, as fotos de barracão tiradas pelos agentes secretos: tudo mesmo para trazer pra vocês a melhor análise pré-desfile possível. Antes que já comece o mi-mi-mi, vai com calma, jovem, é sempre bom lembrar que desfile é na avenida - e nós sabemos disso. Tudo pode cair por terra quando a escola cruzar aquela linha mágica. Quem vai surpreender ou vai decepcionar, só esperando a sirene tocar; Mas para controlar a TPC, vem com as nossas previsões. 


1 - Acadêmicos do Sossego



No geral: A icônica Zezé Motta visitando o barracão da Sossego deve retratar a surpresa na quarta-feira de cinzas. O ditado de quem sobre, caí, não vem valendo na Série A. Mais organizada que muitos do seu grupo, a Sossego bancou a virginiana e tem se mostrado organizada e ciente de seus deveres de casa. Só precisa contar com algum desastre de outra escola, o que dadas as dificuldades conhecidas do grupo, não deve ser difícil. Será que nascerá uma nova estrela na Série A? Ah, é uma honra...

Perdeu décimos: Primeira de sexta. Vindo do Grupo B. Precisa de mais dificuldade?



Credenciais:  Exatamente um desses deveres de casa que a Sossego fez foi a escolha de seu samba-enredo, uma obra digna de especial, pode fazer a diferença e não transformar o desfile em brincadeira infantil.

Barracão Tour: A escola não promete surpreender, mas deve apresentar uma plástica digna, o que já é meio caminho andando para ficar no grupo. O destaque promete ser o carro que representará o filme Xica da Silva, assunto que o carnavalesco Puluker já tem experiência. Além do abre-alas, que trará o Teatro Grego e o deus Dionísio louvando a deusa de época.


De 1 a 3 Dom Quixotes o quando a Sossego deve fazer a Ilha 2010:






2 - Alegria da Zona Sul





No geral: Tem escola que não é prédio carioca, mas Balança mas não caí. Aos trancos e barrancos a Alegria vem tentando se manter na série A. Vacilando na plástica, a Alegria faz fazer aquela amiga que conta com o apoio da outra mais popular. Cada um joga com as cartas que tem.

Pontos extras: Uma das várias homenagens do grupo, a biografia de Beth Carvalho deve despertar a simpatia dos sambistas. O samba da agremiação tem pegada leve e não vai fazer ninguém tapar os ouvidos.

Barracão Tour: Com muito reaproveitamento, as alegorias devem passar bem corretas e sem maiores falhas. A última trará partes da alegoria da Ilha no ano passado, representando a Grécia, onde Beth participou de uma premiação da música importante. Para reaproveitar escultura, os carnavalesco inventam de tudo. 


De 1 a 3 Bethânias o quanto a Alegria deve garantir aquela posição de dois dígitos


 


3 - Viradouro

No geral:  Abre a roda ioiô, que lá vem a Viradouro aí, meu amor. Tão favorita quanto Império Serrano nos últimos anos. (Ao menos, Nitéroi já fez sua graça no especial essa década, foi mal Serrinha) Não é segredo que a vermelho e branco pode beliscar uma boa posição.

Pontos extras: Um cascalho a mais parecer ser um dos trunfos, com a chegada de novo patrono à escola, o que deixou a comunidade mais mordida que Beija-Flor depois de Boni.

Perdeu décimos: Ser a terceira de sexta parecer ser a maior pedra no sapato da campeã de 1997, pegar uma arquibancada fria no primeiro dia de desfile nunca é tarefa fácil. Além difícil, o samba apesar de correto, não é dono de muitas qualidades.



Barracão Tour: Na onda Leandro Vieira de revelações, a aposta da Viradouro em Jorge Silveira parece que vai dar mais sorte que Tijuca em ano par. O nome dos dois carnavalescos, até rimam. Escola Praça é Nossa de Piadas. A temática infantil tem gerado grandes carnavais,  a promessa é algo bem colorido, com uma estética mais plástica e cenográfica, sem muito luxo e zero plumas. O risco é bem vindo, o resultado só na avenida.

De 1 a 3 Ilhas 2014, o quanto a Viradouro deve brincar no top 5 da tabela:


4 - Império da Tijuca

No geral: Uns apostam em homenagens, outros na religião, essas são as duas fórmulas para a Série A. Depois de uma apresentação decepcionante em 2016, o Império vai invocar Xangô para lhe ajudar! 


Pontos extras: Nem só com a ajuda do santo deve contar o Império, sejamos justos, quesitos como o casal e a comissão da escola prometem fazer boas apresentações, garantindo pontos preciosos.



Perdeu décimos:  Mesmo com um enredo babado e um ótimo histórico recente, o samba não ficou à altura e promete ser um "viaduto" no meio do caminho para uma apresentação mais impactante da escola, que deu uma murchada desde sua passagem pelo especial.

Barracão Tour: Os anos de experiência e o entrosamento de Juninho Pernambucano com a escola trazem um conforto para a galera da Formiga. Os setores narrarão a vida e morte de São João Batista, o sincretismo com Xangô e as festas juninas. A aposta é na alegoria que recriará o Palácio de Herodes.

De 1 a 3 Batuks o quanto o chão deve tremer:



5 - União do Parque Curicica

No geral:  Pra sorte de algumas azuis e brancos de Niterói, a tricolor da zona oeste tem apresentado muitos problemas em seus setores para 2017, que não aponta para um bom desfile da Curicica.


Pontos extras: Apesar de um enredo rocambolesco que não parece muito bem desenvolvido, seu trunfo parecer ser apostar na comunicação fácil e rápida com o público. Seria outra Ilha 2014?



Perdeu décimos:  O samba é um dos piores da safra, parecendo uma grande salada com vários temas avulsos jogados no aleatório. Misturou tudo e foi, sabe?

Barracão Tour: A dupla de irmãos que estreia como carnavalescos encontram muita dificuldade em colocar a escola na avenida. Mesmo com a possibilidade de um carnaval mais alegre, a plástica da escola deve mesmo tender àquele desfile marromenos... Ficaremos na torcida para que a escola surpreenda a todos nós! 


De 1 a 3 desastres da Série A o quanto a Curi periga dar um passeio na Intendente:



6 - Estácio de Sá

No geral: De volta depois de uma graça no especial, o Leão aposta em uma homenagem a uma personalidade ligada a comunidade da escola, apostando na permanência da dupla que assinou o desfile anterior, o experiente Chico Spinoza e o iniciante Tarcísio Zanon.




Pontos extras: A Estácio é sem dúvidas uma das sempre favoritas da Série A e sua recém passagem pelo especial mostra isso. Outro trunfo é um enredo identificado com a agremiação, muita coisa pode dar certo. 

Perdeu décimos:  Na contrapartida, um processo comum na folia é as escolas rebaixadas darem uma pequena murchada. O samba é um verdadeiro recorte de músicas do homenageado e promete não brilhar muito. 

Barracão Tour: A dupla de carnavalescos parece bem entrosada, mas assim como no ano passado promete realizar algumas derrapadas nos quesitos plásticos. Entra Cid Carvalho. A aposta é numa abordagem tradicional na biografia de Gonzaguinha, que descerá o São Carlos em busca de um sonho, passará pela referência ao seu pai e consequentemente uma estética do nordeste.

7 - Acadêmicos de Santa Cruz



No geral: Hora de preparar o travesseiro. Não pera. Com apresentações que fazem jus ao prêmio Ortobom, a acomodada da zona oeste tem o desafio de encerrar um dia de apresentações. 


Pontos extras: Falar da Santa Cruz é falar de um grupo de escolas da Série A que frequenta a meiuca da tabela e dali não deve se mexer muito. Um destaque positivo, entretanto, tem sido a bateria da escola, que vem crescendo ano após ano. 

Perdeu décimos:  Assim com ano passado, o enredo passa uma sensação burocrática e um desenvolvimento reto e nada original. Mesmo sendo um tema rico como a literatura infantil. A obra musical da escola segue com os mesmos problemas.




Barracão Tour: A comissão de carnaval permaneceu, o que não garante muita surpresas nos quesitos plásticos. A ordem parece ser ainda a mensagem ecológica do desfile passado e reciclar muitas ideias e conceitos que já cansamos de ver nos desfiles na verde e branco da Zona Oeste. (Não é você, Mocidade).


De 1 a 3 travesseiros o quanto a Santa Cruz deve ficar abaixo do Top 10:



1 - Acadêmicos da Rocinha

No geral: Abrindo o sábado, a Rocinha depois de uma apresentação que constrangeu a Sapucaí (não só por suas "K-Xotas", mas por algumas de suas peculiaridades mesmo) promete surpreender com o requinte e a elegância para fazer jus ao enredo sobre Viriato Ferreira. 

Pontos extras: A contração do jovem carnavalesco João Vitor Aráujo deve ser um dos maiores trunfos da escola. O artista está feliz em desenvolver um enredo autoral e tem tudo para surpreender. Os outros quesitos musicais, como a bateria da borboleta também não devem fazer feio na hora do show.



Perdeu décimos:  Abrir os trabalhos de um dia de apresentações nunca é tarefa fácil, ainda mais depois de permanecer sendo a campeã do grupo abaixo.

Barracão Tour: Como já foi dito, o trabalho do carnavalesco tem tudo para agradar com bastante riqueza de detalhes e apuro estético, sobretudo nos figurinos. Amém Rosa Magalhães. Alegorias lembrando carnavais da Portela, Beija-Flor e Imperatriz também parecem arrancar suspiros dos apaixonados pela folia. 


De 1 a 3 Rosa Deus Magalhães o quanto a Rocinha deve surpreender e beliscar até uma vaga no top 10:




2 - Acadêmicos do Cubango



No geral: Enquanto algumas em Niterói comemoram a chegada de um patrono, outro choram a saída dele. Acostumada a grandes carnavais e até brigar pelo título, a Cubango é uma das grande incógnitas deste ano. A saída do Cid Carvalho no meio do ano causou polêmica, fazendo a escola apostar num novo nome para assinar o desfile.  

Pontos extras: Com uma sinopse muito bem desenvolvida do enredo sobre João Nogueira de Fábio Fabato atrelado à homenagem aos Cem Anos do Samba é um dos trunfos da verde e branco. Além dele, o samba figura entre os melhores do grupo e sua bela melodia deve salvar ao menos os quesitos musicais. Amém João Nogueira.


Perdeu décimos:  Desestabilizada, a Cubango deve ter alguns problemas em seus desfiles. Sobretudo no quis respeito a barracão.

Barracão Tour: Se teremos mais uma Em Cima da Hora Inshalá, ou Caprichosos Pet, só vamos ver na avenida. Mas corre à boca miúda a falta de estrutura e grana da escola. 


De 1 a 3 Cid Carvalhos o quanto o sambaço da escola deve salvar ela de uma tragédia maior:



3 - Inocentes de Belford Roxo


No geral: Uma das escolas do já citado grupo da meiuca, a Inocentes vem andando em ponto morto desde seu rebaixamento alguns anos atrás. Resta saber se a promessa de algo irreverente no tema sobre vilões não derrapará no exagero como acontece normalmente. Entra Rocinha.

Pontos extras: Experiente, o carnavalesco Wagner Gonçalves aposta na comunicação com público, ironia e até crítica política. Beliscar um posição boa? Meiuca? Inocentes sempre uma incógnita. 

Perdeu décimos:  Essa tentativa de "irreverência" já começa dando errado no samba. A obra de gosto duvidoso peca em trocadilhos e brincadeiras dignas daquele riso amarelo constrangedor. Não precisa nem fazer piada em cima. 


Barracão Tour: Resta conferir se a vilania dará onda, o enredo que tem tudo para ter um apelo popular forte pode ser desperdiçado. No barracão, as marcantes esculturas do AA da Tijuca vão passar mais uma vez pela Sapucaí. Outro destaque que pode funcionar é o carro que traz araras e tucanos em referência à política nacional. Vai virar pelo avesso?

De 1 a 3 carnavais da Caprichosos o quanto esperamos que a proposta dê certo, pois precisamos de mais enredos nessa linha:




4 - Império Serrano

No geral: O sempre favorito Império Serrano, porém sem ganhar o grupo há nove anos, não deve fugir de figurar o topo da tabela como nos últimos carnavais. Escola Salgueiro de favoritismo que sempre derrapa em alguma coisa na hora h.




Pontos extras: A tradição, a garra do Reizinho, um bom samba, são muitos os trunfos que fazem o Império correr na dianteira pelo título.

Perdeu décimos: A dúvida fica pelos quesitos plásticos que tem sido sempre uma pedra no sapato da escola.

Barracão Tour: O nem tão inexperiente carnavalesco Marcus Ferreira promete um Império tropical e colorido, diferente da pegada clássica dos últimos anos. Com cores fortes, as fantasias divulgadas pela escola surpreenderam. Será que dessa vez vai?

De 1 a 3 poetas imperianos o quanto queremos o Reizinho de volta a elite:

 







5 - Unidos de Padre Miguel



No geral: A garfada de Padre Miguel, campeã moral do acesso nos últimos trinta anos, deve vir com a força e beleza plástica que viraram sua característica, apostando na força afro. Vai ter xirê!

Pontos extras: Muitos quesitos credenciam a UPM como favorita, o samba forte e poéticp, o excelente trabalho de Edson Pereira, além de um enredo identificado com a escola. 

Perdeu décimos:  A evolução é sempre uma pedra no sapato da escola que sempre passa com um grande contingente e precisa da aquela corridinha - tão comum a escolas dessa cor - no final.


Barracão Tour: Há anos na agremiação, surpreendendo com criatividade e apuro estético, as alegorias da escola deve surpreender mais uma vez com grandes esculturas articuladas e a estética afro que pede o enredo. Dessa vez vai?

De 1 a 3 campeãs morais o quanto a UPM já devia estar no especial:



6 - Renascer de Jacarepaguá


No geral: Outra que parece machucada após um close no especial, a Renascer vem sofrendo com uma má administração e passando por dificuldades em sua preparação para a folia. 

Pontos extras: Assim como nos outros anos, a obra musical encomendada deve garantir notas máximas em Samba-Enredo. Um dos mais belos do grupo.


Perdeu décimos:  Apesar dos belos sambas, chama atenção exatamente a falta de rendimento deles nos desfiles. Será que a Imperatriz da Séria A vai desperdiçar mais um sambão desses?

Barracão Tour: Do mesmo modo que a Cubango, a vermelho e branco também passou por uma troca de carnavalescos em seu pré-carnaval e optou uma dupla de estreantes. Com problemas financeiros e como aconteceu nos últimos anos, a plástica deve ser um dos destaques negativos da escola.

De 1 a 3 escolas que ficam na meiuca quanto a Renascer deve ficar ali mesmo:





7 - Porto da Pedra






No geral: Apostando num carnaval mais leve sobre as marchinhas carnavalescas, a Porto da Pedra saiu do coma que viveu nos últimos carnavais e parecer despontar com pinta de favorita. 

Pontos extras: Um enredo bacana, que deve gerar um trabalho plástico no melhor estilo colorido e pra cima. Um samba competente. Muitos são os trunfos de São Gonçalo para encerrar bem a folia da Série A.

Perdeu décimos:  Por ser a última, a Porto pode acabar sendo apagada por outra favoritas do grupo.


Barracão Tour: Depois de um trabalho criativo, o carnavalesco Jaime Cezário deve seguir na mesma língua e promete um desenvolvimento bem debochado para o enredo sobre marchinhas, que pode gerar uma apresentação deliciosa e bem empolgante.


De 1 a 3 iogurtes o quanto a Porto deve permanecer no top5:





Como boas e bons videntes, nossas previsões tem grandes chances de dar errado. Na hora H, tudo pode acontecer inclusive a campeã surgir de onde menos se espera. Entra, Mangueira. Então, leve na boa e caía no samba. Carnaval já tá aí, minha gente! Bye bye!





Reações:

0 comentários:

Postar um comentário