terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

União da Ilha: “no girê”, tricolor peca em evolução, mas levanta a Sapucaí

com Leo Antan

Abrindo o segundo dia do Grupo Especial, a União da Ilha do Governador contou um enredo de temática afro: “Nzara Ndembu – Glória ao Senhor Tempo”. Mesmo com uma exibição impactante, a União da Ilha errou bastante em evolução, e viu suas chances de voltar nas campeãs diminuírem bastante.
Primeiro carro insulano se destacou por conta de seu gigantismo. (Foto: Vitor Melo)
Sem elemento cenográfico, a comissão de frente do renomado Carlinhos de Jesus impressionou pelo mirabolante truque que fazia com que a saia de um dos componentes aumentasse drasticamente de tamanho fazendo-levitar na avenida. Depois dela, o casal Phelipe e Dandara realizou uma boa apresentação, dando continuidade ao excelente início insulano.

Muito bem acabado, o imponente conjunto visual chamou a atenção do público. O exuberante abre-alas impressionou pela altura, sendo bastante elogiado. Em que pese a beleza dos carros, um deles – o quinto, acabou tendo dificuldades para fazer a curva de entrada da pista, provocando um enorme clarão em frente ao módulo duplo. A mesma alegoria, aliás, teve alguns problemas de iluminação, e alternou momentos com e sem luz. Passando acessa pelos módulos e apagando logo na sequência. Dessa forma, a evolução da Ilha acabou ficando muito comprometida. Cabe observar também que o enredo não se explicou na pista, tendo um desenvolvimento confuso e pouco claro, poderia ter sido melhor explorado dado sua riqueza cultural. 

Efeitos visuais do quarto carro animaram as arquibancadas. (Foto: Vitor Melo)
Comandada pelo brilhante Ito Melodia, a ala musical da escola defendeu com extrema competência o bonito e valente samba, que se sustentou durante os 75 minutos. A Baterilha do Mestre Ciça teve, pelo segundo ano seguido, uma atuação elogiosa. Além de tocarem em um andamento bastante seguro, os ritmistas fizeram várias bossas de sucesso. Em muitas, havia o luxuoso auxílio de atabaques. No geral, a Ilha sai de alma lavada e com a auto-estima de seus desfilantes elevada. Numa apresentação marcada pelo luxo, como poucas vezes a tricolor apresentou na pista.

Problemas evidentes de evolução também marcaram o desfile da Ilha (Foto: Léo Antan)



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário