domingo, 5 de março de 2017

Cotação do Mercado 1: as altas e baixas do mercado carnavalesco, quem sai e quem fica

por Leonardo Antan e colaboração de Felipe de Souza. 




Os tamborins mal se calaram direito, mas o bafafá na coxia da festa carnavalesca começou alto esse ano, logo cedo. Desde quarta, após as apurações, soou a largada para o Carnaval 2018 com a divertida troca das cadeiras. Quem sai, quem fica, pra onde vai, especulações... Façam suas apostas! Lage fora do Salgueiro? Paulo Barros em uma outra agremiação? O fim da histórica comissão de Carnaval da Beija-Flor? Os próximos dias serão fortes! E a gente vai seguir aqui fazendo uma balanço completo para vocês, com as principais contratações. Confira: 

          Em Alta - Quem fica:

Desde 2013 na Imperatriz, o experiente carnavalesco Cahê Rodrigues segue para mais um ano na Rainha de Ramos. Após quatro anos consecutivos no Sábado das Campeãs, a escola ficou apenas com a sétima colocação com o enredo sobre o Xingu em 2017. Nos quesitos ligados ao carnavalesco, Cahê garantiu quatro 9,9 em alegorias, dois 9,9 e dois 10 em fantasias e três 9,9 e um 10 em enredo.

Após certa especulação e propostas tentadoras de outras agremiações, Leandro Vieira segue na Mangueira para 2018. O carnavalesco que foi campeão em sua estreia e faturou o quarto lugar esse ano, segue na Estação Primeira após o apelo da torcida, que realizou uma campanha nas redes sociais com a hashtag "#FicaLeandro". Chiquinho, presidente da escola, não foi bobo e tratou de garantir a permanência do artista. Das 12 notas dos quesitos enredo, alegorias e fantasias, apenas uma não foi dez para Leandro, um 9,9 em fantasias.

Mais uma escola que já tem seu artista para tocar seu barracão este ano é a vice-campeã Mocidade Independente. O veterano Alexandre Louzada segue na verde e branco para o Carnaval que vem. No julgamento, o carnavalesco levou apenas um 9,9 em alegorias e outro em fantasias, ambos descartados. Já o enredo foi a grande falha da escola, que a tirou da briga pelo título, levando dois 9,9. Além de Louzada, os coreógrafos da Comissão de Frente, Jorge Teixeira e Saulo Finelon, responsáveis pelo sucesso do Aladdin voador, seguem na agremiação. 

Além dos carnavalescos, outras renovações aconteceram na São Clemente, que segue com o casal Fabrício e Denadir. E na Série A, a Unidos de Padre Miguel confirmou a permanência do intérprete Pixulé e da dupla de mestre-sala e porta-bandeira Vinícius Antunes e Jéssica Ferreira.

      Em baixa - Quem saiu:

Depois de dois anos nessa última passagem em Vila Isabel, o experiente artista do Carnaval Alex de Souza se desligou da azul e branco após o desfile complicado da agremiação, que revelou sérios problemas de barracão e de bastidores da Vila. No Especial desde 2006, Alex já teve passagem pela Mocidade, a própria Vila e a União da Ilha. 

Um dos primeiros a anunciar que não seguiria na mesma agremiação para 2018 foi o estreante Jorge Silveira, carnavalesco que assinou um belo carnaval na Viradouro, faturando um vice-campeonato, apesar dos problemas de barracão da escola. Jorge é, também, um dos artistas responsáveis pela Dragões da Real, que perdeu o título do Especial de SP por alguns décimos. 

Após conseguir a façanha de fazer a escola que subiu permanecer no grupo, o carnavalesco Márcio Puluker não segue na Acadêmicos do Sossego para o ano que vem. Com passagens por Cubango e Inocentes de Belford Roxo, Puluker está sem escola, tendo no seu currículo vários enredos homenagens e várias Xicas da Silva consecutivas.   

Um dos carnavalescos mais promissores da folia, João Vitor Araújo, não prossegue na Rocinha após o espetacular desfile sobre Viriato Ferreira na tricolor da Zona Sul. Vindo de uma 13ª colocação, a escola surpreendeu e faturou um honroso e justo sexto lugar neste Carnaval, muito pelo excelente trabalho plástico requintado de João Vitor, que já assinou a Viradouro em 2014 e 15. 

     Estáveis - Quem se mudou:

A primeira troca de cadeiras oficial aconteceu na Série A. Após cinco grandes carnavais na Unidos de Padre Miguel, o carnavalesco Edson Pereira se desligou da vermelho e branco e foi para outra escola das mesmas cores, só que de Niterói. Edson e a UPM eram uma das duplas mais sintonizadas da festa atualmente, com a combinação de um trabalho plástico primoroso e a garra da comunidade da Zona Oeste. Vale lembrar que Edson retorna à Viradouro. Ele já assinou a escola em 2010, quando ela foi rebaixada do Grupo Especial na apresentação sobre o México, que teve graves problemas administrativos na época. 


     Especulações:

Carnavalize também é programa de fofoca, e não podíamos deixar de terminar comentando as especulações que correm o (sub)mundo do Carnaval. De quase certo, mas ainda não oficializado, temos a possível saída de Renato e Márcia Lage do Salgueiro, após 14 anos na vermelha e branco. Era o maior casamento em vigência entre escola e artista. Pela presidente Regina Sinhá Celi, eles permanecem, resta saber a vontade dos dois. Os boatos dizem que três escolas estariam de olho na dupla: Tijuca, Grande Rio e Beija-Flor. A conferir. 

Outro bafafá mais recente, que tem como fonte Léo Dias, é que depois do quebrar o jejum da Portela, Paulo Barros estaria negociando com a Vila Isabel. Será que com tantos problemas, a azul e branco teria grana para bancar o carnavalesco mais caro da folia? Vale lembrar que Paulo já passou por lá em 2009, quando dividiu a assinatura do desfile com Alex de Souza. 

De qualquer maneira vamos aguardar as confirmações. O mercado não para, então logo a gente volta com mais novidades e as novas cotações! 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário