quarta-feira, 21 de junho de 2017

SINOPSE | Unidos de Vila Maria: "Arriba Bolaños! Arriba Vila! Arriba México!"


Justificativa
A Unidos de Vila Maria mergulha em um mundo mágico e enigmático, onde a alegria, as cores, os sabores e a energia paradisíaca encantam quem o conhece: MÉXICO
O México em toda a sua exuberância, com personalidades que enchem o mundo de beleza e felicidade.
Em foco, Roberto Bolaños (o criador do Chaves) que, com seu humor inocente, faz a todos rirem muito. Esse talento mexicano é o grande condutor dessa viagem fantástica a um dos recantos culturais mais belos da Terra!
Portanto, mergulharemos na terra dos Astecas e Maias ao longo da História e essa viagem será contada por Bolanõs, idealizada e apresentada pela nossa escola.
Arriba, muchachos e muchachas! A comunidade da Vila vem com tudo e promete fazer um grande espetáculo para o público do Anhembi e do mundo inteiro!
Certo que difundir e promover o entretenimento, o conhecimento, a cultura e o amor são sempre a nossa maior missão...

Introdução
Com a energia e o encanto de um verdadeiro paraíso na Terra, a Unidos de Vila Maria traz em seu carnaval a magia e a alegria, em uma verdadeira festa multicor: as belezas do México!
Berço de Roberto Bolaños, filho dessa majestosa região de variados contrastes, artes e culturas, que se misturam ao humor inocente e ao mesmo tempo fabuloso do Chaves e de toda a sua turma. Figuras que levam até hoje a magia da felicidade, entre sorrisos e gargalhadas.
E é nesse clima festeiro que a escola mostra o seu carnaval, o recanto povos pré-hispânicos que tinham uma evolução fora do comum e nos deixaram um grande legado. Colonizados por ávidos conquistadores espanhóis os quais, com a miscigenação, fizeram nascer, o mexicano, com as bênçãos de Nossa Senhora de Guadalupe, originando assim um povo de rara originalidade e com uma contribuição magnífica para o mundo, seja na culinária, no artesanato, no cinema e na cultura geral.
É recanto de Frida Kahlo e de fabulosos festejos de muito misticismo, que marcam a essência e a vivacidade do mexicano, como a festa dos mortos, que celebra a vida de um jeito bem diferente e enigmático para nós.
E com todo esse poder de força, fé, belezas e alegrias, que a agremiação da zona norte paulistana vem mostrar seu espetáculo e prestigiar o grande público com uma história vigorosa, esbanjando emoção. Arriba Vila!

Sinopse

“Sigam-me os bons!”
Contado pelo pequeno Shakespeare (Chespirito), Roberto Bolaños, um dos filhos mais ilustres dessa terra, idealizado e apresentado pela nossa Unidos de Vila Maria, exaltaremos o México, com seus vários contrastes, cores, sabores, arte e cultura, que deu vida aos seus personagens a partir da ótica do coração.
“Quem poderá nos defender?” Ele, o Chapolin Colorado! Mas “foi sem querer querendo” que nasceram Chaves e sua turma. Sendo assim cantaremos iluminados pela batida do coração de personagens com humor inocente e irreverente; sambaremos com esse elo de ligação de Maias e Astecas na construção de suas pirâmides, que tinham como objetivo chegar o mais próximo possível do coração dos deuses.
Eis um caso de amor Brasil - México, onde inicialmente encontramos o esplendor das civilizações mesoamericanas. Podemos ver, ainda hoje, a pirâmide Chichen Itza, as serpentes emplumadas, as pirâmides do Sol e da Lua, e belezas naturais e exuberantes, “aproveitam-se da minha nobreza!” “Suspeitei desde o princípio” da chegada dos desbravadores, sua expedição com a busca de informação e riquezas, e que, ao olhar o tão maravilhoso cenário, não sabiam se o que estava diante de si, era real.
Assim ficou marcada a descoberta e a conquista do México, em um encontro entre Cortez e Montezuma II. Um dos momentos mais célebres da história do México e da historia universal no plano simbólico, foi o encontro entre o velho e o novo mundo, entre duas civilizações com valores e crenças distintas, uma movida pelo poder temporal e a outra submetida à vontade dos deuses.
Desta junção entre duas culturas surge a miscigenação. ​ Nasceu o mestiço (o povo mexicano), logo vieram os Mariachis e as belas mexicanas sob as bênçãos da virgem de Guadalupe, originando assim um povo, de rara beleza, com a dança e malemolência a flor da pele. Não há como não se encantar com este povo, que de forma magnífica contribuiu com o mundo inteiro.
“Vocês vão ver, eu vou contar pra minha mãe!”, esse reencontro de grandes ícones da arte, cultura, culinária, cinema, televisão, como Roberto Gomes Bolaños, intérprete e criador de personagens de alcance mundial e grandiosidade, tal como fez Frida Kahlo nas artes plásticas.
Logo começamos os festejos, cercados de muito misticismo e simbolismo, que marcam a essência e a vivacidade dos mexicanos com as festas religiosas e a principal, a dos mortos, que celebra a vida de um jeito bem diferente e enigmático. Uma beleza multicor!
“É que me escapuliu”. A nossa Unidos de Vila Maria, escola da zona norte paulistana vai transformar cultura em arte, humor em alegria.

Arriba Vila, Arriba México!

Canta e encanta Vila Maria!



Histórico
A mais poderosa força do mundo é o amor, que enobrece a alma e faz bater mais forte o coração. Cheios de emoção, repletos de energia e força, nós da Unidos de Vila Maria traremos para o carnaval 2018, um caso de amor ao México, país de variados contrastes e personalidade muito forte, detentor de uma beleza infinita.
A nossa comunidade da Vila Maria, com seu samba, sua raiz, seu pavilhão, nosso bem querer, será guiada por um de seus filhos mais ilustres, Roberto Bolaños. Ator, humorista, diretor, roteirista, publicitário, protagonista e criador de personagens como: Chaves e Chapolin, que transformaram arte em alegria, em sua volúpia de humor.
Começaremos nossa viagem com os primeiros habitantes, os povos pré-colombianos, exímios na sua inteligência, sua grandeza, criatividade. Impérios magnânimos: arquitetos, escultores, pintores, astrônomos surpreenderam o Velho Mundo. Guerreiros que nos deixaram um legado maravilhoso e influenciaram a humanidade com grandes invenções.
Seguiremos em frente nesta jornada fabulosa e nos depararemos com desbravadores espanhóis, ávidos de conhecimento, descobertas, riquezas. Atravessando os mares tenebrosos, descobrem e colonizam as novas terras, o novo paraíso. Fundindo-se aí o Velho e o Novo Mundo. Cortês e Montezuma, o branco e o ameríndio.
Neste instante veremos o surgimento do mestiço. Nasce enfim o mexicano. Gente encantadora, alegre, cantante, forte de sua herança cultural, culinária, artesanato, dança, música e cores.
Mariachis e belas muchachas mexicanas cantam e dançam os encantos desse verdadeiro recanto, cenário magnífico, um dos melhores lugares do mundo, de uma gente inigualável no modo de ser e de viver.
Dessa mistura veremos nascer grandes ícones como Frida Kahlo com sua arte impressionante e a Turma do Chaves (obra de Bolaños), levando entretenimento, gargalhadas e muita felicidade.
Relembraremos ainda pratos deliciosos e apimentados, picantes gostosuras, impossíveis de não serem apreciadas pelo sabor, cheiro e paladar. Sombreiros, maracás, pratos coloridos, inúmeras obras literárias e pinturas. Enfim, uma explosão de estrelas de brilho muito intenso.
Setorização
Honradíssimos com o enredo para o carnaval 2018, nós da Unidos de Vila Maria faremos uma exaltação ao México, apresentando a história contada por Roberto Bolaños, o querido Chaves. E em sua abertura traz toda sua turma com sua Vila de alegria e humor.
Na alegoria um, voltaremos no tempo e falaremos dos primeiros habitantes dessa terra de encantos e belezas, os povos pré-hispânicos, em destaque os Maias e Astecas, civilizações evoluídas que nos deixaram um grande legado: na arquitetura, com palácios- pirâmides, por meio das quais pretendiam chegar ao coração dos deuses; na matemática, com o uso do zero; na astrologia, com o calendário; nas artes, na invenção do chocolate, da roda e da pipoca.
Na segunda alegoria, contaremos a chegada dos conquistadores espanhóis que atravessando os mares tenebrosos em busca de riquezas acabaram colonizando e miscigenando esse solo.
E da junção das culturas européia e ameríndia, surge na terceira alegoria, o mestiço, o povo mexicano de personalidade forte, expressiva na musica, na dança, no místico jeito de ser. Com muita felicidade canta o Mariachi, dança a bela mexicana.
E dessa mistura surgem grandes ícones, que apresentados pelo Chaves, Chiquinha, Dona Florinda, Kiko, Seu Barriga e todos os personagens dessa bem humorada saga e que enchem os nossos corações de amor!
Sombreiros, maracás, pratos coloridos, baús multicores, comidas típicas, pintura de Frida Kahlo, livros de Bolaños, trazem na quarta alegoria uma profusão de cores e sabores.
E por fim, encerramos esse espetáculo a céu aberto, e a quinta alegoria traz a Festa dos Mortos, principal festividade religiosa, que como tantas outras fazem do México um paraíso fascinante.
Uma imensa escultura de Bolaños (hoje um dos lembrados) desfila mostrando a todos a força do coração cheio de emoção. A Vila Maria com toda garra e samba no pé, emocionada em falar desse grande homem e seus grandes feitos numa terra que lutou pela liberdade e que tem muita fé em sua virgem de Guadalupe.

Arriba Vila Maria! Arriba Vila do Chaves! Arriba México!

Fran Sergio - Carnavalesco
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário