domingo, 16 de julho de 2017

"O que teve?": Saiba tudo o que rolou no sorteio do grupo especial para 2018

por Equipe Carnavalize



Demorou, mas chegou! Finalmente aconteceu o sorteio que definiu a ordem dos desfiles das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro. Em meio ao polêmico corte na subvenção das escolas, que atrasou os preparativos para a festa, o sorteio aconteceu pela primeira vez na Carnavália Sambacon, feira de negócios da folia, que reúne os principais profissionais da festa. E nós estávamos lá e conferimos tudo te contar tudo o que rolou.

O sorteio repetiu o formato dos últimos anos; para quem não sabe, não custa lembrar. As escolas são divididas em pares pela posição do ano anterior e o número de torcida de cada escola, para o equilíbrio das forças e mais equilíbrio entre os dias. Primeiro, cada par sorteia um número, e quem tiver a bolinha com o maior número pode escolher o dia que prefere. Depois, com o dia de cada escola definida, aí, sim, partimos para a definição da posição de cada uma.

A mão sortuda da Tia Surica faturou uma posição na segunda para a Portela

O primeiro par a subir no palco foi o formado pelas grandes campeãs deste ano. Mocidade e Portela disputaram quem ficaria com a desejada segunda-feira e quem pagaria penitência no domingo. A Portela não pôde contar com a mão quente do baluarte Monarco que garantiu o lugar na segunda-feira nos últimos anos; a incumbência caiu nas mãos de outra figura emblemática da azul e branco: Tia Surica. Para disputar com ela, a Mocidade também colocou no páreo uma baluarte importante de sua história: Tia Nilda, líder das baianas da verde e branco. Na hora H, Surica continuou dando sorte para a águia e pegou a bolinha de número 8, enquanto Nilda ficou atrás por apenas um número, sorteando o 7. 

Com uma marca de grandes desfiles no domingo, o Salgueiro enfim voltará para a segunda noite.

A segunda dupla a subir no palco foi Salgueiro e Grande Rio. Do lado vermelho e branco, a Sinhá Regina Celi foi tentar a sorte com seu ex-diretor de carnaval, Dudu Azevedo, hoje na Grande Rio, deixando uma deliciosa torta de climão no ar. No confronto, a Sinhá salgueirense tirou a melhor, faturando a bolinha de número 5, enquanto a tricolor da Baixada ficou bem atrás com o número 3. Resultado: a Grande Rio segue desfilando no domingo, como vem fazendo desde 2014, e o Salgueiro ficará na segunda. 

A sorte estava junto a Beija-Flor no sorteio deste ano

O próximo confronto foi o mais acalorado da noite: as gigantes Mangueira e Beija-Flor; uma ia pra segunda e outra pro domingo, fatalmente. O presidente Chiquinho, da verde e rosa, achou que estava tudo ganho quando sorteou a bola de número 9, a segunda mais alta do jogo. Mas como com a deusa nilopolitana não se brinca, a escola tratou de evocar os orixás do Laíla e o representante da azul e branco surpreendeu ao tirar a bolinha com a numeração 10. Lacrou!

A pergunta que não quer calar...

Na sequência, o confronto entre Vila Isabel e Imperatriz foi de números menores. A Rainha de Ramos tirou a bolinha 3, fazendo crescer a esperança dos torcedores da escola de Noel, mas a azul e branco surpreendeu tirando um número menor ainda: 2. Acabou com a verde e branco na segunda noite de apresentações e a Vila na primeira. Para encerrar, a União da Ilha e a São Clemente fecharam as definições por dia de desfile. A tricolor insulana tirou uma bolinha de numeração maior que a representante de zona sul, optando pela segunda-feira de carnaval.

A São Clemente amargou uma má posição de desfile, mas contará com o talento de Jorge Silveira, que fará sua estreia no especial.

A definição da ordem de cada dia foi ainda mais emocionante. A Mangueira abriu os trabalhos de domingo, tirando a bola de número 6. Logo, a Grande Rio faturou a posição anterior a da verde e rosa. A São Clemente não teve tanta sorte e amargou a posição menos querida pelas escolas: a segunda de domingo. A Mocidade sorteou a quarta posição, enquanto a Vila ficou na terceira.

O carnavalesco Jorge Silveira surpreendeu ao levar a Viradouro para o vice campeonato em 2017 e promete surpreender ainda mais em sua estreia no especial carioca. #AConferir
Na segunda, a Portela logo cravou a segunda posição da noite de desfiles. Depois, a Beija-Flor, mais uma vez, mostrou que estava com sorte de campeã e faturou nada menos que a bolinha de número 6, vindo para encerrar a folia do ano que vem. O Salgueiro ficou com a quarta posição, seguido pela Imperatriz. A Ilha foi a última a ser sorteada, ficando na terceira posição.



Nos cinco minutos disponíveis para troca entre as escolas, apenas uma mudança foi realizada. A Mocidade Independente de Padre Miguel trocou a última posição de domingo com a Paraíso do Tuiuti, encarregando-se da missão de encerrar o primeiro dia de apresentações, posição na qual foi campeã em duas oportunidades, em 1985 e 1996. 

A ordem final dos desfiles do grupo especial do RJ para 2018.


As estatísticas não mentem jamais: segure a Beija-Flor. Das últimas quatro vezes que a escola nilopolitana desfilou encerrando a festa foi campeã (2005, 07, 08, 11). Será que vai mais um título pra conta da soberana? A conferir, é bom lembrar que a azul e branco é a única agremiação do grupo principal que ainda não anunciou seu enredo para o carnaval que se aproxima, o anúncio está marcado para o domingo dia 30, na feijoada da escola. Se especula, uma auto-homenagem, louvando os 70 anos da agremiação. Aí de fato não teria pra ninguém... Ai, meus orixás. 


O que nos reserva o carnaval de 2018? Ainda há muitas surpresas pelo caminho, vamos aguardar! 

Reações:

Um comentário: