terça-feira, 15 de agosto de 2017

Do Churrasco à Sapucaí: como o Marquês virou enredo da Beija-Flor

por Guilherme Peixoto


A família Dornas sempre foi apaixonada por carnaval. Por lá, todos os churrascos terminam em samba-enredo. Um desses encontros, deu início ao carnaval de 2016 da Beija-Flor de Nilópolis. Em uma despretensiosa conversa com seu tio Gláucio, Pedro Dornas teve a ideia de apresentar à escola carioca um enredo que abordasse a história de Cândido José de Araújo Viana, o Marquês de Sapucaí.

Pedro (esq.) e Gláucio (dir.) participaram do desfile de 2016 da Beija-Flor. (Arquivo Pessoal/Pedro Dornas)
Morador de Nova Lima, cidade natal do Marquês, Pedro sempre ficou intrigado com a pouca importância dada ao homem que nomeia a rua onde são realizados os desfiles do carnaval carioca. A proposta de transformar a trajetória do Marquês de Sapucaí em enredo surgiu justamente para preencher essa lacuna. “Pesquisamos muito sobre a história de Cândido José de Araújo Viana. Encaminhamos um e-mail sugerindo tema à diretoria de carnaval da Beija Flor e fomos surpreendidos com um telefonema do Laíla”, conta. Do outro lado da linha, o diretor de carnaval da agremiação propunha uma visita ao município, que fica na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Em paralelo aos esforços de Pedro, seu tio, Gláucio Magalhães, que é ritmista da Beija-Flor desde 2013, também sugeriu o tema à azul e branco de Nilópolis. “Por ser integrante da bateria e ter contato com a diretoria, apresentei formalmente a ideia ao Luis Cláudio, filho do Laíla”, diz.

Após a aprovação da sugestão, a missão passou a ser a coleta de informações que pudessem sustentar uma apresentação digna de Grupo Especial. “Depois da confirmação de que o tema seria aquele proposto por nós, passamos a encaminhar diversas obras literárias e biográficas de escritores locais que serviram de base para que a equipe de carnavalescos de Nilópolis desenvolvesse artisticamente o desfile”, explica Pedro, que foi mestre-sala e hoje é presidente da Unidos do Rosário, tradicional agremiação do carnaval nova-limense.


Tendo a vida do Marquês de Sapucaí como fio condutor, apresentação da Beija-Flor rendeu um quinto lugar à escola. (Foto: Wigder Frota) 

Liderado por Laíla, o time de criação da Beija-Flor desenvolveu então o enredo “Mineirinho Genial! Nova Lima – Cidade Natal. Marquês de Sapucaí – O Poeta Imortal!”. Terceira escola do domingo de carnaval, a “Soberana” fez uma apresentação bonita e regular. Embalada pela marcante voz de Neguinho da Beija-Flor, a escola da Baixada Fluminense conseguiu a quinta colocação e, consequentemente, a passagem para o Desfile das Campeãs.

Tradicionalmente um dia de festa para as melhores escolas de samba, o sábado que encerra o carnaval foi inesquecível para vários integrantes da família Dornas, que foram ao Rio de Janeiro para conferir de perto o último ato da epopeia que durou quase um ano.








Reações:

0 comentários:

Postar um comentário