quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Os Cinco Mais: o verdadeiro show das Comissões de Frente

Foto: SRZD
Por Alisson Valério e Bruno Malta
Se toda história tem início, meio e fim, num desfile de escola de samba não poderia ser diferente. Para casais e bateria passarem com aquela elegância e ritmo contagiante, é preciso ter uma abertura triunfal. Sendo assim, recordamos agora cinco apresentações marcantes de comissão de frente no Carnaval do Anhembi.

E aí, preparados? Então vem com a gente que a passarela foi liberada e o desfile vai começar!

Império de Casa Verde – 2005
Foto: YouTube
Trazendo o enredo “Brasil, se Deus é por nós, quem será contra nós” o Império de Casa Verde resolveu abrir o seu desfile com os índios cibernéticos (inspirada pela música do Caetano Veloso), que representava o brasileiro como uma raça do futuro e eles seriam os responsáveis por embarcar na viagem onde o destino final seria o Brasil como a terra prometida. Com uma fantasia gigantesca, mas de muito bom gosto e que usava a luz do dia ao seu favor, a comissão de frente encantava pela sua coreografia e impacto visual. Essa abertura dava início a um dos grandes desfiles da história do carnaval e essa comissão de frente se tornaria uma marca da escola por muitos anos. Uma comissão de frente inesquecível de um desfile inesquecível que foi coroado pelo título inédito da caçula do samba.



Vila Maria – 2008
Foto: Alexandre Schineider/UOL
Falando sobre o centenário da imigração japonesa, a Vila Maria apostou em abrir o seu desfile com a dança dos leques que espanta o mau-olhado e abre novos caminhos. Com uma fantasia lindíssima e luxuosíssima baseada no teatro Kabuki, os quinze integrantes apresentaram movimentos leves, mas muito bem coreografados - nem parecia que a fantasia pesava aproximadamente 40kg. Foi uma apresentação arrebatadora que encantou público e jurados, conquistando assim a nota máxima. Uma comissão de frente inesquecível do Carnaval de São Paulo que abriu um dos grandes desfiles da história da Vila Maria. Estrelas brilharam e a Vila Maria passou... Saquê!



Dragões da Real – 2014
Foto: Nelson Almeida/AFP
Com um enredo falando sobre as diversas inovações que marcaram a década de 80, nada mais justo do que abrir o desfile com a sua comissão de frente recriando o clipe de Thriller, de Michael Jackson, não é mesmo? Foi exatamente isso que a Dragões da Real fez, mas não ficou só por aí não. Ela resolveu inovar ainda mais e realizou a primeira comissão trabalhada com tripé e truque do Anhembi. O tripé recriava um cemitério na parte superior e na parte inferior, as poltronas de um cinema onde eles assistiam o filme, como no clipe da música. Com uma apresentação divertida e muito bem coreografada, a comissão empolgou e impactou o público que assistiu ao desfile. A abertura empolgante deu o tom que o desfile pedia e o resultado não poderia ser outro além da nota máxima. Sacudiu, balançou e levantou a galera. Sem dúvidas uma comissão de frente marcante na história do Carnaval de São Paulo.



Mocidade Alegre – 2014
Foto: Rodrigo Capote/UOL
Na luta pelo tricampeonato, a Mocidade Alegre teve um importante trunfo: a abertura de seu desfile. O enredo sobre a fé teve na Comissão de Frente uma encenação que representava a fé cega. Os integrantes do grupo que abriu o desfile, em sua maioria faziam a coreografia com os olhos vendados. Isso, para o enredo, tinha o significado que a fé não precisava de demonstrações claras para que possamos acreditar nela. E que até sem enxergar, as pessoas ainda acreditavam em sua força. Ao longo da avenida, a medida com que a apresentação acontecia, as pessoas eram tomadas pelo êxtase e pelo significado que tinha a comissão. A dança era toda coreografada para facilitar a comunicação com o público. Com uma entrada triunfal, a Mocidade seguiu o seu cortejo com muita emoção e técnica arrebatando a avenida do começo ao fim. O final foi o esperado, o samba disse amém ao tricampeonato da escola do bairro do Limão.



Mancha Verde – 2006
Foto: Hugo Richard, Walmir de Jesus, acervo pessoal de Walmir Sparapane e Sec. Tur. SP
Com um enredo poderoso falando sobre os injustiçados, a Mancha Verde optou em abrir o seu desfile com a representação da vida do menino Jesus inspirada nas cenas do filme dirigido por Mel Gibson em 2004. Foi uma encenação forte, muito bem elaborada e emocionante. Uma apresentação de deixar qualquer um sem palavras e conquistando assim a nota máxima dos jurados. Foi uma grande abertura de desfile que deu o tom do que viria a ser um desfile bastante emocionante daquele que foi um carnaval bem difícil para a escola, mas não há nada que o samba não possa curar e a Mancha Verde lavou a alma na avenida emocionando a todos no Anhembi. Bem-aventurada, guerreira, a Mancha chegou e trouxe com ela uma das grandes comissões de frente da história do carnaval paulistano.


Essas cinco inesquecíveis comissões de frente são apenas uma pequena amostra das comissões que ano pós ano encantam o público do Anhembi e de todos que assistem de casa. Para continuar conhecendo mais do Carnaval de São Paulo acompanhe a série "Os 5 mais".

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário