sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

CARNAVANÁLISE #11: Grande Rio e a busca pelo tão sonhado trono

 
Por Beatriz Freire
O carnaval de São Paulo, inegavelmente, é um dos que mais cresce e ganha espaço no Brasil. Apesar disso, é impossível ignorar a relevância que a festa momesca tem em terras cariocas. Para ilustrar tamanho crescimento da folia e a união entre os carnavais, Felipe de Souza, Beatriz Freire e Jéssica Barbosa se reuniram para detalhar samba e enredo das 27 escolas que passarão pelo Anhembi e pela Marquês de Sapucaí em 2018. Os textos estarão disponíveis às segundas, quartas e sextas, seguindo o resultado do último carnaval.

Depois do banho de axé que derramou e da poeira que levantou na Avenida, a escola de Caxias roda e avisa: a Grande Rio é o cassino do Chacrinha.

"Vai para o trono ou não vai?"
Acadêmicos do Grande Rio


“Vem chacrete o bumbum rebolar
Eu vou brilhar na TV, ouvir de novo dozer
‘9h Terezinha, oh Terezinha, 
vai começar mais um cassino do Chacrinha’”
Assim como as demais co-irmãs, a dança das cadeiras na tricolor não foi diferente; o carnavalesco Fábio Ricardo pegou a estrada para Madureira e o casal Lage, que até então esteve por quase 15 anos no Salgueiro, assumiu o carnaval caxiense. Homenageando o Velho Guerreiro, a Grande Rio promete ir pro trono, buscando não apenas o desfile das campeãs mas, sim, o tão sonhado campeonato. A grande expectativa é ver como Renato, o high-tech, e Márcia Lage desenvolverão esteticamente um desfile com diversas soluções possíveis e, mais ainda, como será a parceria da dupla com um outro casal que causa alvoroço pelas Comissões de Frente: Priscila Motta e Rodrigo Negri, que desde 2015 comandam o quesito de Caxias.

O samba:
Se o troféu abacaxi tivesse que ser dado para um quesito, dificilmente ele não seria o de samba-enredo. A parceria escolhida não agradou tanto e está no final do ranking de muitos foliões dos sambas do Grupo Especial. Emerson Dias, porém, reafirma seu talento a cada ano e deu um toque mais animado e mais agradável de ouvir a gravação do CD, que também contou com a bateria do mestre Thiago Diogo mais pra frente, o que é natural pela animação do samba e pela letra pouco poética, que não se sustentaria num andamento normal. A expectativa é que a Invocada se recupere das notas baixas que levou em 2017, com o carnaval que homenageava Ivete Sangalo.

A Grande Rio será a quinta escola a desfilar no domingo.
E pra você, Terezinha? A Grande Rio vai pro trono ou não vai?
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário