sábado, 10 de fevereiro de 2018

#Carnaval2018 - Aguerrida, Alegria faz o dever de casa e exime chances de queda

Por Redação Carnavalize




Primeira escola a se apresentar no segundo e último dia de desfiles da Série A, a Alegria da Zona Sul levou à Avenida, guiada por Marco Antônio Faleiros, o enredo ''Bravos Malês! A Saga de Luiza Mahin", em um desfile bem resolvido.

Leandro Azevedo, coreógrafo responsável pela Comissão de Frente, foi muito feliz ao conduzir seus bailarinos em uma dança forte, que representava os voduns, com muita sincronia e uma mensagem final de combate à intolerância religiosa que arrancou aplausos merecidos do público.

A belíssima Comissão de Frente, que representava os voduns, assinada por Leandro Azevedo (Foto: Vitor Melo)
O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, Diego Machado e Alessandra Chagas, vindo da Viradouro, enfrentou alguns problemas em sua apresentação por conta da forte ventania. No entanto, deram conta da apresentação e conseguiram resolver as intempéries.
As alegorias formaram um conjunto bem acabado, somado as fantasias simples, porém boas, e uso de cores quentes, que resultaram numa boa unidade visual. O enredo foi claro e simples mas bem conduzido e funcionou dentro de suas competências.

Segunda alegoria da Alegria da Zona Sul (Foto: Vitor Melo)


A bateria, comandada por Mestre Claudinho, apresentou algumas dificuldades ao sair do recuo, quando os surdos de segunda e terceira acabaram sobressaindo e abafando o restante dos ritmistas, mas o problema foi resolvido sem muita demora. Igor Vianna, filho do saudoso Ney Vianna, foi o grande destaque do desfile que teve o samba muito bem conduzido, mostrando, mais uma vez, que a boa árvore dá bons frutos.

Sem problemas e superando as expectativas de quem duvidava da comunidade da Zona Sul, a escola não briga por uma vaga na parte de cima da tabela, mas também não sofre as ameaças do rebaixamento.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário