segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

#Carnaval2018 - Em agradável desfile, Tijuca mostra força do canto e dá show de bateria

por Redação Carnavalize

Com saudades desde já, vamos caminhando para o fim dos desfiles de 2018 no último dia de apresentações. Depois do trágico acidente que marcou a passagem da Unidos da Tijuca pela Sapucaí em 2017, a escola tinha como meta se reerguer e foi a primeira a desfilar no segundo e último dia de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Com a saída de Mauro Quintaes, a Comissão de Carnaval que comanda o trabalho na escola continua com Annik Salmon, Hélcio Paim e Marcus Paulo. A agremiação homenageou Miguel Falabella com o enredo "Miguel, o Arcanjo das artes, saúda o povo e pede passagem!".

Depois do fim do casamento com Alex Neoral, a escola apostou em Renato Vieira, nome conhecido do carnaval, para assinar a Comissão de Frente do Borel. A apresentação foi competente ao representar o teatro e trouxe uma troca de figurinos. Cumpriu o seu papel e ao final da mostra arrancou aplausos do público. Alex Marcelino e Jack Pessanha formaram o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da agremiação. Jack já tinha passado pela Tijuca como segunda porta-bandeira e Alex veio de um campeonato pela Portela. Bem vestido, o casal enfrentou problemas com a ventania, mas com muita maestria e técnica, Jack conseguiu reverter a situação a seu favor e seguiu belamente com seu mestre-sala.

A terceira alegoria da escola chamou atenção pela beleza (Foto: Felipe de Souza)
O conjunto alegórico foi irregular e a terceira alegoria foi a que mais se destacou. Alguns carros mostraram problemas de cores e concepção e alguns elementos não facilitaram a leitura do enredo. As fantasias apresentaram um ótimo nível, com poucas exceções. O enredo, por sua vez, não foi bem desenvolvido e, neste sentido, a presença de Miguel só foi se comprovar no final do desfile. 

O último carro trouxe o homenageado (Foto: Felipe de Souza)
O samba funcionou muito bem e foi abraçado pela comunidade do Borel que cantou a plenos pulmões. Tinga, mais uma vez, deu um show e fez uma excelente apresentação, assim como a Pura Cadência e Mestre Casagrande que foram impecáveis. 


A evolução apresentou alguns pequenos problemas, apesar da escola passar compacta, mas os buracos foram solucionados rapidamente e não comprometem a escola. Confortável e recuperada, a escola deve brigar por uma colocação no sábado das campeãs.


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário