sábado, 2 de março de 2019

#Carnaval2019 - Com altos e baixos, Santa Cruz reverencia Ruth de Souza


Por Redação Carnavalize

A temporada de enredos que rendem homenagens foi aberta pela Santa Cruz, quarta escola a desfilar, que reverenciou um dos maiores nomes da televisão brasileira. “Ruth de Souza - senhora liberdade, abre as asas sobre nós” foi o enredo desenvolvido pelo experiente carnavalesco Cahê Rodrigues, que assinou o seu primeiro desfile pela escola da Zona Oeste. 

A comissão de frente trouxe elementos como barquinhos e uma árvore, além de flores prateadas e apresentou momentos cênicos protagonizados pela atriz Isabel Fillardis, que entre trocas de roupa interpretou alguns momentos da vida da homenageada. Em frente ao primeiro módulo, porém, ela sofreu uma queda brusca por conta da pista molhada e escorregadia. 

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, formado por Mosquito e Roberta Freitas, defensores do pavilhão há três anos, foi um dos mais bem vestidos e fez uma apresentação segura. 

Um dos problemas da escola na entrada dos carros
O abre-alas trouxe a homenageada em um trono no centro do carro e passou com uma boa qualidade de acabamento, diferentemente das segunda e quarta alegorias, que apresentaram sérios problemas de realização. Na segunda alegoria também foi possível notar queijos vazios, assim como no carro que a sucedia, o que poderá gerar desconto de pontos dos jurados. Incontáveis foram os momentos de tensão no que diz respeito à entrada dos carros na pista, o que ocasionou grandes clarões no tapete da escola e consequentes problemas de evolução. 

O conjunto de fantasias se mostrou irregular; as primeiras alas passaram bem vestidas mas o padrão não se manteve e o último setor praticamente não contou com a presença de indumentárias, incluindo uma ala em que elas foram substituídas por camisas da escola. Além disso, notou-se que algumas alas passaram descalças por inteiro. 

A Tabajara do Samba, sob a batuta de Mestre Riquinho deu conta do recado e conduziu muito bem o excelente samba da escola, interpretado por Roninho, e certamente foi o grande trunfo do desfile. 

Quase na dispersão, a Santa Cruz acabou estourando o tempo máximo de desfile em dois minutos e poderá ser mais uma escola penalizada na quarta-feira de cinzas.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário