domingo, 3 de março de 2019

#Carnaval2019 - Na briga pelo título, Estácio emociona com Cristo Negro



Por Redação Carnavalize

Favorita do pré-carnaval, a tradicionalíssima Estácio de Sá foi a terceira escola a cruzar a Avenida neste sábado. Com o enredo “A fé que emerge das águas”, desenvolvido por Tarcisio Zanon, a escola rendeu homenagem à imagem do Cristo Negro, surgida no Panamá, com uma tentativa de buscar apoios no país da América Central. 

A coreógrafa Ariadne Lax comandou a comissão de frente que investiu em uma apresentação cênica e muito teatralizada ao retratar a crucificação de Cristo e, no momento final, sua acolhida sob o manto de Nossa Senhora. O grupo emocionou o público presente e arrancou aplausos das frisas e arquibancadas. 

A comissão de frente da Estácio de Sá emocionou com a crucificação de Cristo e a acolhida sob o manto de Nossa Senhora.

O casal de mestre-sala e porta-bandeira, José Roberto e Alcione, trajou fantasias lindas de base clara com tons dourados e vermelhos, e fez uma apresentação segura e bonita defendendo o pavilhão estaciano. 

Plasticamente, as alegorias grandiosas e bem acabadas formaram um conjunto regular e opulento do início ao fim, com destaque para o segundo e o terceiro carro. Nas fantasias, materiais ricos foram utilizados e notou-se também a presença de muita pena de acetato nas alas. 

A quarta e última alegoria trouxe a reverência de Ismael da Silva ao Cristo Negro.
A bateria Medalha de Ouro do mestre Chuvisco, que está de volta à escola após um ano na Vila Isabel, estava acelerada como de costume, mas as bossas contagiaram e a harmonia respondeu à altura, dando funcionalidade ao samba bastante cantado pelos componentes. O grande contingente da escola chamou a atenção e, apesar disso, não houve problemas de evolução. 

Com uma passagem emocionante e sem deslizes, a escola confirmou o favoritismo e deve despontar nas primeiras posições do ranking final.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário