sábado, 22 de fevereiro de 2020

#Carnaval2020 - Série A: escolas fazem desfiles com problemas plásticos e de pista



Por Leonardo Antan


E começou a festa! A abertura dos desfiles da Série A aconteceu após uma forte chuva no Rio de Janeiro. Durante os desfiles, entretanto, a aguaceira deu uma amenizada e caiu tímida ao longo da noite. Numa série de apresentações problemáticas, a maioria das agremiações deixou a desejar em alguns quesitos, sejam plásticos ou de pista. Desta forma, apresentou-se uma noite de cortejos muito abaixo do esperado, mesmo sabendo de todas as dificuldades que a Série A teve durante o pré-carnaval.

A noite começou com uma agradável surpresa, vindo da Intendente Magalhães, a Vigário Geral fez uma apresentação simpática para abrir os trabalhos. O enredo crítico e jocoso foi bem desenvolvido e se mostrou claro num conjunto de fantasias que se destacou na noite como um todo. A escola da Zona Norte viralizou ainda nas redes sociais com um tripé que trazia um palhaço criticando o presidente da república, a caricatura dividiu opiniões dos internautas, se mostrando uma crítica exitosa.

Se a primeira escola a se apresentar deixou a desejar apenas em seu irregular conjunto alegórico, não foi o que aconteceu com a Acadêmicos da Rocinha. O trabalho do carnavalesco Marcus Paulo se destacou pela criatividade e bons usos de materiais numa bela apresentação da tricolor da Zona Sul. Na sequência, a Unidos da Ponte cantou a eternidade num desfile burocrático que teve seus altos e baixos.

As duas melhores escolas da noite vieram na sequência, Porto da Pedra e Acadêmicos do Cubango, que ocuparam ano passado a terceira e segunda posição na tabela respectivamente. A agremiação de São Gonçalo tinha um ótimo enredo que acabou sendo mal aproveitado, mas gerou um desfile agradável nos quesitos plásticos. O único porém foi o problema de pista que a escola apresentou, prejudicando uma boa nota em evolução.  Evolução que também se complicou durante a apresentação da Cubango, principalmente quando o abre-alas da escola de Niterói se desacoplou diante ao primeiro módulo de julgadores e seguiu o desfile assim. Apesar disso, a verde e branco apresentou o trabalho plástico mais interessante da noite e deve brigar por posições melhores que suas co-irmãs.

Também com problemas em sua apresentação, a Renascer de Jacarepaguá apresentou um trabalho que não brilhou nos quesitos plásticos, oscilando em alegorias e fantasias que mal concebidas. O destaque da escola foi o competente casal de mestre-sala e porta-bandeira. Para encerrar a noite, o tradicional Império Serrano também entrou na lista de escolas que tiveram desfiles marcados por falhas. O Reizinho viveu momentos tristes em seu desfile, como a falta das saias na ala das baianas e na ausência de acabamento no seu símbolo maior: a coroa imperial. Uma trágica apresentação da escola de Madureira, infelizmente, encerrou a noite de desfiles abaixo da expectativa, marcando negativamente a grandiosa história da agremiação.

Confira como foram as apresentações em detalhes: 



#Carnaval2020 - Vigário surpreende com crítica contundente



#Carnaval2020 - Rocinha incorpora força de Maria Conga em bela apresentação











Reações:

0 comentários:

Postar um comentário